Crise sanitária e insanidade! – EDITORIAL

CONSELHO EDITORIAL DO DIÁRIO

Por mais boa vontade que tenhamos, no esforço de enxergar alguma pertinência nas ações (e reações) do atual Governo Federal (leia-se JB), desde a eclosão da pandemia C-19, o resultado é desalentador.

Queimamos fosfato, consultamos oráculos, buscamos o fio da meada… mas nada! Há, na verdade, uma carência irremediável de lógica. De desejo objetivo, por parte do governo JB, de abraçar o resto do mundo na direção de soluções comuns. Afinal, o C-19 é multinacional e planetário.

Desde o início, o governo JB arrostou a ciência. Desprezou profissionais balizados, que anteviram, lá atrás, o desastre anunciado, que hoje se confirma. Economizemos palavras: JB chamou a C-19 de “gripezinha”… e sempre ridicularizou os cuidados sanitários básicos.

Passaram-se meses, sucederam-se ministros da saúde, recrudesceram-se rusgas da pior politicagem entre JB e o governo de São Paulo. O noticiário registrou inúmeras manifestações de JB em que desdenhou a Coronavac Butantan. Criou, inclusive, problemas diplomáticos com a China. Não bastasse isso, também fez (e ainda faz) a apologia da cloroquina… sabe-se lá a motivação real.

Da gripezinha ao engripamento – tragamos a reflexão para o aqui e agora. O desconcerto do governo JB jogou o país na contramão. Paralisou o ritmo da esperança. Travou e retardou, de forma irremediável, o compasso do Brasil em relação ao resto do mundo. Conseguiu, especialmente no âmbito da indústria turística, tornar o país um case lamentável de insucesso.

Em matéria de economia do turismo, a vesguice produziu um voo cego. Que país mundo afora vai receber brasileiros sem antes comprovar que estejam vacinados? Pior que isso: quem garante que nos livraremos, tão cedo, do estigma de incubadores de cepas coronárias mutantes? Quem vai se animar a trazer seus dólares para gastar em um país    marcado pela infecção?

É, mais uma vez, desalentador. Enquanto JB pensa a economia doméstica à base de preceitos rasos, ruins e de medidas de inspiração kamikase, o mundo lá fora se adianta na vacinação. Hoje, os EUA contabilizam 70 milhões de vacinados. No comando daquela nação, Joe Biden, eleito em plena pandemia e que dá mostras ao mundo de que liderar não se confunde com chefiar.

Sem qualquer comparação grosseira, atentemos para o socorro anunciado, esta semana, pelo governo norte-americano, às companhias aéreas e aeroportos do país, num total de US$ 22 bilhões. Notícia foi veiculada pelo DT em 16/03/21 e deixa claro que Tio Sam, sob Joe Biden, não é dado a rasgar dinheiro. E sabe da importância estratégica da economia do turismo.

Enquanto isso…

A chamada Sociedade Civil Organizada, que se aglutina em torno de diversas entidades setoriais e reúne lideranças que fazem a roda da economia girar, tem se manifestado, criticamente, quanto à qualidade da governança do país no enfrentamento da pandemia.

A título de exemplo, citemos o Movimento Reformar para Mudar, composto por 34 entidades lideradas pelo Secovi e que representam 45% do PIB do país; Unidos pela Vacina, iniciativa capitaneada pela empresária Luíza Trajano; Movimento Supera Turismo Brasil, coliderado por empresas e empreendedores do trade turístico; a FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação – entidade responsável pela coordenação sindical nacional de hotéis, restaurantes, bares e similares estabelecidos no Brasil. Ela mesma sustenta que a ausência de fiscalização nas cidades, para impedir aglomerações, inclusive nos transportes urbanos, é gritante.

Diz mais: a inércia na aquisição de imunizantes e insumos para fabricação de vacinas, por questões políticas; a falta de padronização e segurança jurídica nas medidas sanitárias preventivas; e o desdém na gestão da coisa pública, mediante o sucateamento dos recursos hospitalares e de saúde postos à disposição da população são os únicos responsáveis por essa nova crise pandêmica.

Fazemos coro com essas entidades e movimentos! É injusto e descabido o setor público transferir o ônus para a iniciativa privada. Clamamos por socorro para os hotéis, os restaurantes, bares e similares, agências de viagem, empresas que sustentam esse país com impostos e que foram iludidas com linhas de crédito inacessíveis!

Que em seu devido tempo os crimes de responsabilidade sejam imputados aos verdadeiros culpados dessa crise sanitária insana!

12 COMENTÁRIOS

  1. Se tivéssemos sido competentes, TODOS NÓS, na hora do voto, o nosso Presidente poderia ser outro; quem? só Deus sabe, porque A CLASSE POLÍTICA BRASILEIRA É A PIOR DO PLANETA.

  2. Parabéns, Diário do Turismo ! Espero que outros veículos tenham também a coragem de bradar um basta em tudo o que está acontecendo e na história que esse “sr” (com letra minúscula mesmo), tem escrito para nosso país. Vimos essa semana um crítico do atual governo ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional, a qual fiz questão de lê-la na íntegra e que se constata que o “sr” aqui comentado deveria responder por vários parágrafos ali existentes.

  3. Não concordo com a matéria. O Governo Federal tem agido dentro do possível, já que não tem autonomia dentro dos Estados. Não entendo essa mídia marrom e ideológica que não fala dos governadores e prefeitos que se utilizaram dos valores repassados para outros fins. Meu marido teve covid e foi tratado em casa com clocoquina, azitromicina e ivermectina e nem precisou ir ao hospital, já que seu médico indicou esse tratamento e deu tudo certo. Afirmar que não funciona não é correto.

  4. Sua analise não faz o menor sentido amigão.
    Quem mandou ficar em casa foram os governos estaduais seguindo uma orientação dos “especialistas”.
    O STF determinou que os prefeitos e governadores teriam autonomia para decidir o q fazer no combate à epidemia e não o governo federal, portanto se até agora se não deu certo , vc tem que consultar “oráculos ” mais capacitados.
    Outro erro grosseiro da sua parte: quem falou em gripezinha bem antes, foi o dr guru da esquerdalha Draúzio Varela.
    Vai ver o que ele acha agora.
    Esse socorro que vc está pedindo seria o o governo federal que teria que dar ? É isso
    O Dória nem pensar?
    Foi o presidente que decretou o toque de recolher?
    Foi ele quem proibiu as pessoas de irem para a praia?
    E para terminar.
    Foi só entrar o Biden que a C19 já ficou com medo.
    Essa vacinação que vc se refere é apenas mais um teste , pois nenhuma tem 100% de eficácia.
    Chega
    Depois desse seu editorial nem adianta mais assinar news letter

    • Sr. Valdir. https://oglobo.globo.com/brasil/stf-decide-que-governadores-prefeitos-podem-decretar-isolamento-na-pandemia-24373750
      Várias reportagens deixaram claro, que o STF deu autonomia ao municípios e estados, sem no entanto, tirar a coordenação nacional do governo federal. “Não é possível que a União queira ter o monopólio da condução administrativa da pandemia nos mais de cinco mil municípios, isso é absolutamente irrazoável. Como não é possível que os municípios se tornem repúblicas autônomas dentro do Brasil, fechando seus limites geográficos, impedindo entrada de serviços essenciais. A Constituição estabelece a divisão de competências a partir da cooperação de interesses – disse Alexandre de Moraes. Secretário fica na Saúde: ‘Vamos trabalhar juntos até o momento de sairmos juntos’, diz Mandetta – Infelizmente o médico Mandetta seguia a ciência e foi exonerado.

  5. Lamentável esse editorial, da a impressão que não perceberam o que o STF fez em cortar as decisões do Governo Federal e deixar por conta dos Governadores e Prefeitos, e que os valores repassados pelo Governo sumiram no ralo. Estou de acordo com o que disse a Sra. Salete Maria Musarra, destacou com muita propriedade e poucas palavras. sejamos críticos onde se tenha o erro, mas sem culpar quem teve seus direitos e autonomia cortados.

    • https://oglobo.globo.com/brasil/stf-decide-que-governadores-prefeitos-podem-decretar-isolamento-na-pandemia-24373750
      Várias reportagens deixaram claro, que o STF deu autonomia ao municípios e estados, sem no entanto, tirar a coordenação nacional do governo federal. “Não é possível que a União queira ter o monopólio da condução administrativa da pandemia nos mais de cinco mil municípios, isso é absolutamente irrazoável. Como não é possível que os municípios se tornem repúblicas autônomas dentro do Brasil, fechando seus limites geográficos, impedindo entrada de serviços essenciais. A Constituição estabelece a divisão de competências a partir da cooperação de interesses – disse Alexandre de Moraes. Secretário fica na Saúde: ‘Vamos trabalhar juntos até o momento de sairmos juntos’, diz Mandetta – Infelizmente o médico Mandetta seguia a ciência e foi exonerado.

    • Sr. José, a respeito do STF a resposta está em todos os jornais. O STF deu autonomia, mas a coordenação sempre tem que ser do governo federal, como manda a CF. No quesito transferências de recursos para Estados, solicito que se informe no portal Transparencia do estado em questão, lá tem todos os detalhes especificados do que foi transferido, quando foi transferido e para que foi transferido. Não estamos aqui defendendo governo estadual algum, pois também há irregularidades. att

  6. Não concordo com este editorial. O governo federal enviou recursos financeiros para todos os estados. O que fizeram ? A turma do contra não deixa o governo federal trabalhar. E nos outros paises que não tem o “nosso governo”, por que as coisas não estão melhores ? E a terceira onda na Italia, é culpa de quem ?

  7. Me entristece muito ver os comentários… O pior é que muitas pessoas ainda votarão nesse sujeito.
    Poderíamos sim ter comprado muito mais vacinas, a inércia que foi o começo dessa pandemia que ele mesmo falou que se tratava de uma gripezinha hoje mata quase 3 mil almas por dia.

Comentários estão fechados.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial