Mudas da Nordesta fecham ciclo do plano ambiental da Accor Hotels (RETRO 2017)

A Nordesta tem influenciado as comunidades locais, no pensamento dos pequenos produtores e na paisagem das nascentes. A parceria da Nordesta com a Accor Hotels começou em 2009.

por Gláucia Machado (repórter da equipe Family do DT – (RETROSPECTIVA 2017 – Publicado dia 20 de janeiro)

Claiton Majela, engenheiro agrônomo da Nordesta – empresa de reflorestamento -, buscou-nos no hotel bem cedinho para uma manhã produtiva e envolvente na região da Serra da Canastra, em Minas Gerais. Tranquilo, comunicativo e com plena consciência ambiental não apenas pela profissão, mas por ter nascido por aqui, nos trouxe informações valiosas a respeito da preservação do meio ambiente. Desde o manejo da semente, a importância da preservação do ecossistema em torno das nascentes, o trabalho das abelhas na polinização e até sobre produção do queijo da Canastra.

As mudas plantadas saem do viveiro da Nordesta, empresa responsável pelo plantio de mudas nativas da região da Serra da Canastra.  O viveiro produz atualmente cerca de 500 mil mudas nativas em sistema de tubetes, no lugar dos tradicionais saquinhos plásticos”, afirma o engenheiro. “Temos uma parceria com a Rede hoteleira Accor desde 2009”, adianta.

O viveiro da Nordesta fica na cidade de Arcos, ao pé do grandioso Parque Nacional Serra da Canastra.

O engenheiro Claiton, da Nordesta, nos conta sobre as hortas verticais
O engenheiro Claiton, da Nordesta, nos conta sobre as hortas verticais

Berçário

Encontramos no viveiro uma equipe engajada, envolvida e orgulhosa de seu trabalho.

O berçário, ou banco de sementes, abriga cerca de 150 milhões de unidades de 130 espécies nativas oriundas do Cerrado, da Mata Atlântica e da Caatinga.

A partir de um trabalho intenso de pesquisas, erros e acertos no viveiro, conseguimos diminuir o período de dormência de muitas espécies, viabilizando assim o plantio em menos tempo”, explica o engenheiro agrônomo.

O trabalho obedece ciclos completos: criação de abelhas para o equilibrio biológico
O trabalho obedece ciclos completos: criação de abelhas para o equilibrio biológico

Abelhas e poesia

O cuidado e responsabilidade da Nordesta quanto ao meio ambiente levou o viveiro ao cultivo das abelhas nativas. Jataí, Mandaçaia, Uruçu e Marmelada são algumas das espécies que encontramos por lá. Cuidadosamente criadas para benefício da natureza, da região e consequentemente para o ser humano.

Outra preocupação está no uso do adubo”, afirma Zenaido Fonseca, engenheiro agrônomo da Emater-MG.. Segundo ele, adubo de qualidade ajuda a produzir mudas e árvores com qualidade.

Enquanto tomamos café e comemos pão de queijo, Zenaido, também poeta e compositor, nos conta o quanto a ação da Nordesta têm influenciado nas comunidades locais, no pensamento dos pequenos produtores e na paisagem das nascentes.

“Antigamente a Nordesta precisava pedir aos proprietários um pedaço de terra próximo à nascente das fazendas para realizarem o trabalho da recuperação da flora. Hoje, a iniciativa é deles”, acrescenta Zenaido.

“Antigamente a Nordesta precisava pedir aos proprietários um pedaço de terra próximo à nascente das fazendas para realizarem o trabalho da recuperação da flora. Hoje, a iniciativa é deles”, acrescenta Zenaido.

De fato, isso ocorre, pois o proprietário beneficiado com a recuperação da nascente, conta para os outros os proveitos e os lucros significativos que obteve.

O banco de sementes, abriga cerca de 150 milhões de unidades de 130 espécies nativas oriundas do Cerrado, da Mata Atlântica e da Caatinga
O banco de sementes, abriga cerca de 150 milhões de unidades de 130 espécies nativas oriundas do Cerrado, da Mata Atlântica e da Caatinga

Trabalho Feliz

O viveiro emprega funcionários que moram na região. É o caso da Dona Ivani. Empregada há cinco anos, nos conta que é feliz com o que faz porque o ambiente de trabalho é especial e, além de tudo, consegue ver rapidamente os resultados.

Visitamos uma nascente em recuperação. Encontramos uma pequena mata fechada e fria, com solo cheio de folhas úmidas sinalizando nova vida. E a nascente que aos poucos vai ressurgindo do chão. O lugar que antes haviam duas árvores, hoje abriga centenas de vegetação nativa.

Desfrutamos de momentos especiais na companhia do agrônomo Claiton, apaixonado pela profissão e pela terra. Atencioso e paciente nos contou um pouco do que faz e mostrou-nos curiosidades como a semente de Saboeiro (Sapindus Saponaria), que ao ser esfregada faz espuma como sabão.

A Nordesta e a rede Accor Hotels nos ensinaram que recuperar as nascentes é possível graças a muito trabalho, dedicação, pesquisas e responsabilidade.

Preservação das nascentes: desde 2009, já foram plantadas quase 500 mil mudas de mais de 100 espécies nativas da região
Visitamos uma nascente em recuperação. Encontramos uma mata fechada com o solo cheio de folhas indicando nova vida

_______________________

PARCERIA COM A REDE ACCOR Hotels

O dinheiro economizado com as lavagens é revertido para o reflorestamento, recuperação de áreas de nascentes e matas ciliares em 25 países (Foto: divulgação)
Quando o hóspede deixa de trocar a toalha de um dia para o outro ele inicia o processo. Essa economia é revertida no plantio de mudas  (Foto: divulgação)

A Nordesta é uma das parceiras estratégicas da Rede Accor Hotels em seu programa Plant for the Planet. Que funciona da seguinte forma: quando o hóspede de um de seus de hotéis deixa de trocar a toalha de um dia para o outro, ele automaticamente faz a rede economizar água, energia elétrica, sabão, logística e uma série de outros insumos. A camareira, a governanta e a equipe do hotel pontua diariamente essa economia e ao final de um período obtém-se uma grande economia. Segundo dados da rede hoteleira, 50% do valor arrecadado é investido no projeto de plantio de mudas, em Minas Gerais. Desde 2009, já foram plantadas quase 500 mil mudas de mais de 100 espécies nativas da região, reflorestando 278 hectares nas bacias dos rios São Francisco, Araguari e Rio Grande, região que corresponde a 390 campos de futebol.


Equipe_Family_1_16*A equipe Family do DIÁRIO viajou com seguro GTA

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

As 100 melhores crônicas de João Saldanha são reunidas em livro

As crônicas foram selecionadas pelo historiador Alexandre Mesquita após a leitura de todo o acervo disponível sobre João Saldanha entre 1960 e 1990 EDIÇÃO DO...

Grupo Iberostar inicia reabertura de hotéis e reforça segurança sanitária

De forma escalonada, a reabertura de uma seleção de hotéis do Grupo Iberostar acontece a partir da segunda quinzena de junho garantindo protocolos de...

Portugal recebe o Selo ‘Safe Travels’ do World Travel & Tourism Council

Este selo visa reconhecer destinos que cumprem protocolos de saúde e higiene alinhados com os Protocolos de Viagens Seguras emanados pelo WTTC, ajudando, sobretudo,...

Três perguntas para Sanfo Boubakar, diretor da ClassTraining, sobre treinamento na retomada

Engenheiro químico com mais de 23 anos de experiência profissional e acadêmica, Sanfo Boubakar é marfinense naturalizado brasileiro. REDAÇÃO DO DIÁRIO Há quase 35 anos no...

Bolsa qualificação beneficia turismo de Foz do Iguaçu e preserva 4,5 mil empregos

Foz do Iguaçu vem adotando diversas medidas para preservar empregos e amenizar o impacto social provocado pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19). Uma delas...

Os  Embaixadores do Rio e a retomada do turismo fluminense

Bayard Do Coutto Boiteux*O Rio  de Janeiro com a pandemia causada pelo Covid-19 passa o pior momento de sua história turística nas últimas décadas....

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias