Rio Grande do Norte apresenta seus roteiros na Adventure Sports Fair

Quando for ao Rio Grande do Norte, não deixe de fazer o passeio de Buggy pelas dunas no entorno de Natal, indica a subsecretaria de turismo do estado Solange Araújo Portela.

Zaqueu Rodrigues (Freelancer para o DIÁRIO) – Eric Afonso (fotos em 360º)

Em sua participação na Adventure Sports Fair 2018, ela revela que os caminhos da aventura no estado atravessam as mais diversas paisagens: “a emoção é por água, terra e ar”.

A rica geografia presenteia o visitante com paisagens formadas por dunas, montanhas, grutas, cavernas, cachoeiras, rochas, trilhas… “A terra potiguar é pura emoção”. O governo aposta alto no turismo de mergulho, diz ela. “Com águas límpidas e mornas, corais de formações exóticas e naufrágios espalhados por toda a sua costa, o estado caminha para se tornar referência no país nesse segmento”, prevê ela.

 Águas cristalinas e uma rica vida marinha compõem um dos principais destinos de práticas aquáticas do estado, Parrachos de Maracajú, sitiado a 55 km da capital. O mergulho pela formação de corais é feito com máscara e snorkel ou cilindro de oxigênio. Na maré baixa, os recifes criam piscinas naturais. “É um convite para relaxar ”, diz Solange.

Vento em popa

Já as práticas aéreas estão indo de vento em popa, comemora ela. “Como costumamos dizer, o Rio do Grande do Norte é o lugar onde o vento faz a curva, é a famosa esquina do Brasil. Na cidade de Patu, a 369 km de Natal, por exemplo, o visitante encontrará um dos melhores pontos de voo livre do mundo. As práticas nesse segmento são as que mais crescem no estado”.

As trilhas pelas formações rochosas do Polo Agreste Trairi, a 147 km de Natal, reservam paisagens de encher os olhos. Endereço de manifestações tradicionais de devoção, a região abriga, entre outras, as trilhas de Monte das Gameleiras, o exuberante castelo Zé dos Montes em Sítio Novo, práticas de rapel na Serra Caiada e as cavernas e rochas de Passa e Fica. 

A aventura pela região serrana do estado apresenta montanhas, cavernas e grutas que desenham destinos perfeitos para amantes do ecoturismo e do turismo de aventura, diz Solange. 

“Na cidade de Martins, localizada a 360 km de Natal, está a segunda maior caverna em mármore do país, a Casa de Pedra. Já em Felipe Guerra, a 350 km de Natal, o visitante poderá se aventurar pelo maior complexo de cavernas do Brasil. Hoje, o estado do Rio Grande do Norte abriga mais de 1 mil cavernas, sendo mais de 10% com potencial turístico”, enumera. 

 

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial