Vinícola Puna, em Cachi: premiada por sua especialidade em encantar

O DIÁRIO DO TURISMO viajou a Salta, na Argentina, a convite do Visit Salta e Inprotur Salta, nos dias 4 a 9 de Julho. Participamos do voo inaugural da Aerolíneas Argentinas de Guarulhos- SP à província de Salta, no noroeste do país. Visitamos várias vinícolas.

O Valles Calchaquíes é uma região entre vales e montanhas com altitude que oscila entre os 2 mil metros em relação ao nível do mar, e se estende pelos estados de Salta, Catamarca, Jujuy e Tucumán. Salta sempre foi uma região muito conhecida pelas belezas naturais e pela produção de tabaco e com a crescente implantação de vinhedos na região o turismo passou a ser ainda mais corriqueiro.

Entrada da cidade de Cachi, Salta na Argentina

Conhecemos vinícolas como a Puna na cidade de Cachi; e a El EstecoPianttelli Vineyards na cidade de Cafayate, cidades que ficam 157 km uma da outra. Ao longo dessas visitas compreendemos a diferença das uvas cultivadas nas alturas e que se transformam em excelentes vinhos.

por Mary Ellen Aquino*

María Carla Morizzio é sócia-proprietária da premiada vinícola Puna, em Cachi, que possui um Malbec medalha de prata no concurso da Decanter World Wine Awards. A história da vinícola é recente. Morizzio comprou a fazenda  em 2010 para fazer dela um local para passeio e descanso da família, mas após visitar a região da Rioja na Espanha não conseguiu mais parar de pensar em produzir vinhos. Ela já tinha as terras, portanto foi estudar e chamou para junto de seu projeto o enólogo Luis Raul Asmet para assisti-la. Em 2014 saiu a primeira produção do rótulo azul, o Malbec.

María Carla Morizzio é sócia-proprietária da premiada vinícola Puna, em Cachi

97 pontos

Hoje a Puna produz 250 mil garrafas com o objetivo de alcançar 450 mil garrafas em mais quatro anos de produção das uvas. “Os vinhos saem muito bons, esta região é muito particular. Tem muita expressão aromática e de sabor, e estamos muito contentes. Este ano na Decanter ganhamos 97 pontos com nosso Malbec de etiqueta azul que tirou a medalha de prata de toda a Argentina”, comemora Maria. “É o único vinho saltenho com medalha de prata na Decanter, é uma linda surpresa! Esperamos que os amigos brasileiros gostem, pois gostamos muito de vocês e queremos que venham quando quiserem, pois são bem-vindos,” convida a executiva.

Combinações surpreendentes

María Carla Morizzio nos esclarece que a visita à vinícola é combinada com o restaurante da propriedade, onde os visitantes têm a oportunidade de fazer combinações surpreendentes.

“Depois da produção nos preocupamos em incrementar a parte turística da vinícola, em fazer as visitas guiadas, o restaurante e a degustação”, informa a proprietária.

 

Alta Gastronomia

O restaurante oferece alta gastronomia e é realizada uma degustação em quatro passos. O couvert é composto por queijos cortados em cubos com pimentão, ervas e muito azeite; um pão muito comum na Argentina com formato similar ao do pão de queijo, porém mais consistente e esfarela facilmente.

A primeira taça servida é um Torrontés, uva típica da região e produzida a 2.530 metros de altura. De acidez equilibrada, aroma de frutas cítricas e tropicais esta uva vai bem com a salada de mix de alface, quinoa, tomate seco e queijo brie, o frescor dos ingredientes é acima da média. Em seguida, a tradicional Provoleta Rellena, que pode ser feita na chapa ou na churrasqueira, é um provolone com mais ou menos dois centímetros derretido até um certo ponto de consistência. É apetitoso para ser degustado com vinho Rosé de Malbec Suave, que tem um tom avermelhado arrebatador, é adocicado e tem aroma de frutas vermelhas e é bem encorpado.

Restaurante Puna, medalhão de filet mignon com Malbec, cebolas rochas caramelizadas com cravo e batatas rústicas (Crédito: Mary Ellen Aquino)

Prato Principal

O prato principal é preparado com Malbec, e é servido com o Malbec premiado citado no início da reportagem. Ele é leve, tem acidez equilibrada, taninos presentes, notas de especiaria e baunilha, aroma de geleia de ameixa, framboesa e cereja. O filet mignon é macio, suculento, e penetra nas papilas e dentes, para acompanhar cebola roxa caramelizada no cravo e batatas rústicas para acompanhar, o prato é bem elaborado e equilibrado. A sobremesa de mousse de Malbec e Torrontés é feita para agradar ao Deus do Vinho, Dioníso, feito com frutas vermelhas como a amora, framboesa e morangos em caldas, mas satisfaz com deslumbramento aos mortais, que é degustado com um Torrontés suave, um vinho mais seco harmonizaria melhor com a sobremesa.

Em síntese, o Restaurante Puna tem pratos bem feitos utilizando os vinhos que produz, deixando os pratos bem autorais, com a cara do lugar.


Serviço:

BODEGA PUNA

Km 6,5 Camino a la Aguada – Cachi, Salta – Argentina – CP 4417. Dirección Comercial
Miguel de Cervantes 2240 – Grand Bourg . Telefone(+54 387) 5685737

Luis Raul Asmet, enólogo, fala dos vinhos das alturas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial