Advogado Marcelo Vianna sobre os passaportes: “turista com viagem marcada pode impetrar mandado de segurança”

REDAÇÃO DO DIÁRIO – 

A suspensão da confecção de passaportes solicitados após 27 de junho passado por falta de recursos na Polícia Federal tem frustrado muitas pessoas, pois essas já estavam com as passagens e as viagens planejadas. Há uma semana a Comissão Mista de Orçamento aprovou o projeto que libera mais de R$ 100 milhões para a Polícia Federal, mas a proposta ainda vai ser analisada pelo Congresso. O consultor jurídico do DIÁRIO DO TURISMO, Marcelo Soares Vianna, advogado atuante no setor do turismo e sócio da VIANNA & OLIVEIRA FRANCO ADVOGADOS (www.veof.com.brfala a respeito dessa situação, acompanhe:

DIÁRIO – Quais foram os serviços suspensos pela Polícia Federal?

MARCELO VIANNA: A Polícia Federal, por falta de verbas, suspendeu a confecção de passaportes solicitados após a data 27/06/2017. O agendamento on line do serviço e o atendimento em postos da Polícia Federal continua normalmente, somente a entrega dos passaportes está temporariamente suspensa, sem previsão de retorno às atividades. A única notícia favorável que se tem é que houve convocação de sessão no Congresso Nacional para próxima segunda-feira (17) para votar a liberação de recursos extras para confecção de passaportes, mas não se tem certeza de quando a situação será efetivamente regularizada.

DIÁRIO – Existem exceções à regra que permitem a emissão de passaportes?

MARCELO VIANNA – Estão sendo emitidos passaportes em casos de emergência, assim consideradas situações em que o cidadão tem que viajar em determinada data por questões de saúde, trabalho, etc., e mesmo assim sujeito ao preenchimento de determinadas condições. O turista, mesmo com viagem marcada, não é considerado caso de emergência.

As próprias companhias aéreas, têm em sua maioria aceito remarcar a passagem para outra data ou mesmo cancelá-la mediante reembolso integral do preço, sem qualquer penalidade.
As próprias companhias aéreas, têm remarcado a passagem para outra data, cancelado,  mediante reembolso integral do preço, sem qualquer penalidade

DIÁRIO – Quais são as alternativas para o turista que tem viagem marcada e não conseguiu emitir o passaporte até agora?

As próprias companhias aéreas têm remarcado a passagem para outra data, cancelado, mediante reembolso integral do preço, sem qualquer penalidade.

MARCELO VIANNA – O turista que tem viagem marcada pode  tentar reagendar sua viagem ou impetrar um mandado de segurança na tentativa de obter uma liminar que determine a emissão do passaporte em tempo hábil.

DIÁRIO – Quais são os direitos do turista que tentar reagendar sua viagem por conta de problemas com a emissão do passaporte?

MARCELO VIANNA – Em se tratando de documento pessoal, é do passageiro a responsabilidade por adotar as medidas cabíveis para regularizá-lo. Logo, as empresas do turismo (agências, operadoras, companhias aéreas, etc.), a princípio, não são obrigadas a excluir as penalidades previstas contratualmente para os casos de alteração ou cancelamento. Este inclusive é o atual entendimento do Procon-SP. Porém, sempre haverá risco de o Poder Judiciário, diante das peculiaridades do caso, concluir de forma diferente, razão pela qual muitas agências e operadoras, também por consideração a seus clientes, têm flexibilizado a aplicação das penalidades contratualmente previstas. As próprias companhias aéreas, em tais casos, têm em sua maioria aceito remarcar a passagem para outra data ou mesmo cancelá-la mediante reembolso integral do preço, sem qualquer penalidade.

DIÁRIO – E como deve proceder o turista que optar por adotar uma medida judicial para obter seu passaporte em tempo de viajar?

MARCELO VIANNA – A primeira providência é procurar um advogado para analisar o caso. Se o profissional concluir como viável, será impetrado um mandado de segurança com pedido liminar para emissão do passaporte antes da viagem. O número de liminares deferidas nesse sentido cresce a cada dia, amparadas, basicamente, na necessária observância pela administração pública aos princípios da legalidade e da eficiência, o que abarca a emissão de passaportes dentro do prazo razoável, no caso, 6 dias úteis conforme instrução normativa da própria Polícia Federal.

 

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Bolsa qualificação beneficia turismo de Foz do Iguaçu e preserva 4,5 mil empregos

Foz do Iguaçu vem adotando diversas medidas para preservar empregos e amenizar o impacto social provocado pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19). Uma delas...

Portugal recebe o Selo ‘Safe Travels’ do World Travel & Tourism Council

Este selo visa reconhecer destinos que cumprem protocolos de saúde e higiene alinhados com os Protocolos de Viagens Seguras emanados pelo WTTC, ajudando, sobretudo,...

Os  Embaixadores do Rio e a retomada do turismo fluminense

Bayard Do Coutto Boiteux*O Rio  de Janeiro com a pandemia causada pelo Covid-19 passa o pior momento de sua história turística nas últimas décadas....

Prefeito de São Sebastião oficializa Área de Proteção Ambiental Baleia Sahy

Nesta sexta-feira (5), o prefeito do município de São Sebastião, Felipe Augusto, assinou o decreto que regulamenta o Plano de Manejo da Área de...

União Europeia só abrirá totalmente as fronteiras internas no final de junho

A União Europeia só abrirá totalmente as fronteiras internas no final de junho e começará a suspender as restrições a viagens fora do bloco...

Accor amplia programa Plant for the Planet agora para a Colômbia

Para reforçar seu objetivo com a preservação ambiental e preocupação com os insumos que utiliza em seus hotéis, a Accor anuncia no Dia Internacional...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias