Desempenho da hotelaria paulista melhorou em setembro

Abih-SP registrou o retorno dos hotéis de 15 MRTs do Estado, que compreendem 572 municípios e 150.867 Uhs de oferta total

Edição DIÁRIO com agências

A Abih-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo) publicou a 15ª edição do estudo exclusivo Desempenho da Hotelaria no estado de São Paulo, apresenta um panorama sobre a recuperação hoteleira em setembro de 2021.

As comparações foram feitas com o mesmo período de 2019, pré-pandemia. Os números de 2020, em função da pandemia, distorcem dados comparativos.

A pesquisa foi realizada de forma independente e adotou alguns comparativos com dados de outras entidades para rerratificar as análises. As entidades de referência e comparação foram: InFOHB, Observatório do Turismo de São Paulo, Visite Campinas, ACE Ilha Bela, Caraguatatuba e São Sebastião, dentre outras.

A Abih-SP registrou o retorno dos hotéis de 15 MRTs do Estado, que compreendem 572 municípios e 150.867 Uhs de oferta total. Considerou-se 95.064 Uhs (63,01%) dos municípios que responderam à pesquisa. Foram considerados, para cálculo de taxa de ocupação, tanto a diária média como o RevPar, apenas os hotéis abertos e em operação.

A pesquisa revelou que o número de hotéis abertos ficou estável, com 98,43% do total pesquisado contra 98,33% no mês de agosto de 21. A relação funcionários/Uhs aumentou para 0,35 func/UH – uma recuperação modesta de 5,15% em relação a agosto de 2021. Este indicador, porém, apresenta cerca de -41,50% (variação negativa), se comparado com o início desta série histórica.

Longe do ideal

Mesmo longe do ideal, as variações positivas de setembro superaram as negativas nos resultados de Ocupação e Diária Média das MRTs pesquisadas.

As MRTs com apelo corporativo continuam em processo lento de recuperação, com sinais evidentes de melhoria em clima de retomada.

A entidade aponta um cenário positivo para a hotelaria com a retomada dos eventos corporativos. Já o segmento de lazer, dado o bom resultado no feriado da independência, mantém otimismo. Os demais feriados até o final do ano e a entrada da alta temporada reforçam boas expectativas de ocupação e receita.

Apesar dos sinais de melhora em setembro, as contratações estão aquém dos indicadores pré-pandemia. A queda histórica desta série ainda se encontra estimada em 41,5%. A Abih-SP constata um tendência de alto índice de demissões causadas pela pandemia e, também, a morosidade no processo de recontratação.

O índice ficou em 46,06%, 12,12% maior que agosto de 2021. Em comparação com setembro de 2019, a variação é de -31,08%. Repete-se o resultado pelo terceiro mês consecutivo – a maior taxa de ocupação apurada desde o início da série.

Em setembro de 2021, as MRTs apresentaram variações mescladas em comparação com agosto de 2021. Destaque para a Capital Paulista e Região de Ribeirão Preto, com boa recuperação após a liberação dos eventos. Apenas quatro MRTs apresentaram retração.

A pesquisa identifica uma tendência de incremento nos polos corporativos a partir de outubro, e a consolidação das taxas e receitas pela entrada da alta temporada de lazer.

A análise desse indicador dá conta de que a diária média acumulada do estado foi de R$ 253,28 – variação de -19,01% em relação a setembro de 2019. Já em setembro de 2021, na comparação com agosto de 2021, houve +7,41% de crescimento.

Apenas quatro MRTs apresentaram variação negativa. O destaque fica para as MRTs Alta Mogiana e Vale do Paraíba – Serras e Litoral Norte, com as maiores recuperações, após apuração negativa no exercício anterior.

A expectativa segue a tendência da análise das taxas de ocupação – gradativa recuperação do corporativo e lazer com sinais positivos por conta da aproximação da alta temporada.

Análise da RevPar de setembro de 2021 demonstra que o indicador acumulado no Estado foi de R$ 116,66 – variação de -44,95% em relação a setembro de 2019, e de +20,46% em relação a agosto de 2021.

Em setembro de 2021, somente as MRTs Terra do Sol, Capital Expandida e Circuito das Águas apresentaram variação negativa em relação a agosto de 2021. Nas demais, a  variação foi positiva.

O levantamento da Abih-SP levou em consideração: Formulário de Pesquisa ABIH-SP. Amostragem: levantamento e mapeamento – Pesquisa UAMTOUR; Cadastur; Receita Federal – CNAE;  Embratur;  Observatório do Turismo; Visite Campinas; InFOHB; Atibaia e Região; ACE – Ilhabela; CIET – Centro de Inteligência Econômica do Turismo – SETUR.

O projeto de pesquisa de desempenho da hotelaria paulista, que chega à 15ª edição, foi idealizado por Ricardo Roman Jr. – Presidente ABIH-SP. Gláucia Sangiovanni Paiva, gerente operacional, é a responsável pela captação de dados. Roberto Gracioso, membro do Conselho Fiscal da entidade, é o responsável pelo desenvolvimento do projeto.]

Os três principais indicadores do mês de setembro de 2021 revelaram:

1 – Taxa de ocupação do Estado 46,06%. Indicador mantendo a tendência de variação negativa com -31,08% em relação a setembro/19.

2 – Diária média do Estado R$ 253,28. Indicador mantendo a tendência de variação negativa com -19,01% em relação a setembro/19.

3 – RevPar do Estado, R$ 116,66. Indicador mantendo a tendência de variação negativa com -44,95% em relação a setembro/19.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial