Turistas poderão conhecer palácio do presidente italiano, em Roma

O Palácio do Quirinal, sede da presidência da República da Itália, abrirá as suas portas diariamente e mostrará espaços até agora fechados ao público para reforçar a união histórica e cultural entre a instituição e os cidadãos.

Essa foi uma das primeiras decisões tomadas pelo novo presidente da República, Sergio Mattarella, que jurou seu cargo em 2 de fevereiro e se fixou como prioridade “superar as dificuldades dos italianos e realizar suas esperanças”.

Mattarella decidiu na sua terceira semana como presidente do país abrir “um lugar simbólico da história e da cultura dos italianos”, um palácio “que acompanhou a história da Itália e dos italianos e que continua os acompanhando”.

O anúncio foi feito no próprio palácio durante o ato de apresentação de uma exposição de tapeçarias pertencentes à família Medici que constitui um dos melhores testemunhos da arte do Renascimento.

“Pedi que o palácio se abra às visitas a cada dia, todos os dias da semana. Dei indicações para que se amplie também o percurso das visitas a salões e ambientes que antes não eram visíveis”, detalhou.

O presidente também disse ter solicitado “que os escritórios sejam retirados de alguma parte do palácio, para destinar estes espaços a novas exposições permanentes ou temporárias”.

Embora não tenha estabelecido uma data, Mattarella já antecipou que “um grupo de trabalho já se ocupa de definir a modalidade deste novo uso do palácio”.

“Trata-se de relacionar dia a dia a função do Quirinal como sede da presidência da República junto com a história de nosso país e nossos concidadãos”, resumiu o presidente.

Atualmente, o palácio, “ponto de referência da vida democrática da nação e museu aberto à Itália e ao mundo”, pode ser visitado quase todos os domingos com um horário limitado a três horas e meia durante a manhã.

Situado na colina Quirinal, a mais alta das sete que rodeiam Roma, o recinto sempre foi um lugar dedicado a organizar a vida política e social italiana, uma função que remonta à Antiguidade, quando no século IV a.C. foi espaço de culto e palco de ritos e cerimônias.

O palácio foi criado em 1573 como casa pontifícia de verão por decisão do papa Gregório XIII, após o que se transformou em residência real e, em 1947, em sede da presidência da República. (EFE)

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial