Aviação deve ter déficit de caixa superior a R$ 7,3 bilhões em 2015

(Edição do DT com agências)

A aviação comercial brasileira deve encerrar 2015 com um déficit de caixa superior a R$ 7,3 bilhões, informou nesta quarta-feira (30) a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR). É o pior resultado da história do setor, equivalente à soma dos resultados líquidos negativos registrados em três anos consecutivos pelo transporte aéreo (2011 a 2013), ou R$ 7,4 bilhões, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Esse déficit está sendo impulsionado pela escalada da cotação do dólar em relação ao real e pelo aumento de custos de 24% previsto para este ano, enquanto a receita deve crescer bem menos, ou 3,7%.

“Esse cenário coloca em risco uma década de conquistas, pois saltamos de um patamar de 30 milhões para 100 milhões de passageiros. Com o câmbio nesse valor, não é admissível trabalhar com custos muito acima da média mundial, como é o caso do combustível”, afirmou o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz.

Para 2016, as projeções indicam um déficit de caixa de até R$ 12,2 bilhões, caso a cotação do dólar fique em torno de R$ 4,44. Se a moeda americana for cotada na casa dos R$ 3,88, as perdas poderão se situar em R$ 11,4 bilhões.

Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Parque Nacional do Itatiaia (PNI) reabre nesta quarta-feira (5)

Avanços na retomada do Turismo na região das Agulhas Negras. Nesta quarta-feira (5), o Parque Nacional do Itatiaia (PNI), uma das mais importantes Unidades...

Emirates usa seu A380 em voo para Guangzhou, Cidade do Kuwait e Lisboa

A Emirates acaba de anunciar que usará sua icônica aeronave A380 nos voos para Guangzhou a partir de 8 de agosto de 2020. A...

Foz do Iguaçu retoma atividades agora em definitivo, acredita empresários do turismo

Dia 10 de junho foi anunciado pelo DIÁRIO DO TURISMO a volta das atividades turísticas em Foz do Iguaçu, porém infelizmente por determinação das...

Organizações pedem liberação de R$ 2 bi de fundos socioambientais

Carta aberta ao BNDES lançada nesta terça-feira (4) exige medidas concretas para evitar financiamento a desmatadores e a revisão da política socioambiental do Banco EDIÇÃO...

Embraer anuncia o Phenom 300MED para transporte aeromédico

A Embraer anunciou nesta terça-feira (4) o Phenom 300MED, solução de transporte aeromédico (MEDEVAC) exclusiva para aeronaves da série Phenom 300, disponível também para...

Château Hotel Grand Barrail, da França, divulga as novidades do verão

Entre elas estão um novo bar de vinhos, piqueniques gourmet e massagem com um mestre de Shiatsu EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências Situado em Saint-Émilion, pequeno...

Relacionadas

1 COMENTÁRIO

  1. Já falei em outra oportunidade: mais atenção ao turismo nacional. Mais viagens entre as regiões; menos tempo em conexões e menos conexões. Talvez o maior entrave seja a logística de centralizar conexões no eixo SP/RJ: Ficam aqueles milhares de turistas nacionais, com fisionomia de cansaço aguardando a conexão. Aí como está: as companhias aéreas ficam na expectativa das cotações internacionais do dólar e/ou euro e, justamente na modalidade em que o custo é alto porque as viagens são de maior duração, além da constante oscilação da taxa de ocupação das aeronaves.

Comments are closed.

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat