Benigna Soares: ‘Mulheres que escrevem o turismo do Brasil’

Nascida em uma comunidade quilombola, chamada Sororoca, do município de São Bento, no Maranhão, Benigna Soares começou a ter interesse pelo jornalismo por meio de uma empatia com a figura de Glória Maria. “Ela traduz, para mim, muitas conquistas das mulheres brasileiras. Muitas de nós, de origem humilde, de cor negra, acreditamos que é possível escrever nossas histórias enquanto reportamos as histórias e vivências de outras pessoas”, contou ao DIÁRIO.

REDAÇÃO DO DIÁRIO (por Tárcia Oreste e Paulo Atzingen)


Formada em comunicação e em direito, Benigna é especialista em Cultura e Midiologia das Sociedades Contemporâneas e deve se tornar especialista também, até julho deste ano, em Direto Civil e Processual Civil. No setor de turismo, sua primeira reportagem foi cobrindo um off road de aproximadamente 10 dias, partindo de Belém para a Hidrelétrica de Tucuruí, seguindo por municípios da Rodovia Transamazônica e região do Xingu. “Uma cobertura inesquecível para o Portal Amazônia, da Amazon”, comentou Soares. “O começo de um caminho sem volta”, assegurou.

Formada em Comunicação e em Direito, Benigna é especialista em Cultura e Midiologia das Sociedades Contemporâneas e deve se tornar especialista também, até julho deste ano, em Direto Civil e Processual Civil

Ao longo de sua carreia, Benigna passou por veículos como a TV RBA (afiliada Band), TV Cultura, Rádio Liberal, Portal Amazônia (Amazon), Amazônia News, Agência Pará, jornal O Público, além da Coordenadoria de Comunicação do Estado (CCS), Coordenadoria de Comunicação de Belém (COMUS), Funpapa, Paratur, Belemtur e Setur. Com uma vasta vivência em meios de comunicação, Soares é uma das profissionais escolhidas para fazer parte da série de reportagens do DT sobre ‘mulheres que escrevem o turismo do Brasil’, acompanhe abaixo:

A decisão de escrever sobre viagens

Quando saí da TV Cultura, em 2000, depois de um ciclo de oito anos, me deparei com a assessoria de Imprensa governamental e fui indicada pelo então secretário de comunicação, jornalista Nélio Palheta, para auxiliar a equipe que assessorava uma das primeiras edições do ‘Ver-o-Peso da Cozinha Paraense’, festival idealizado pelo saudoso chef Paulo Martins. Mais do que agradar ao exigente embaixador da culinária amazônica, a missão exigia demonstrar a importância da vinda de 22 dos melhores chefs do mundo ao Pará, durante a Feira Internacional de Turismo da Amazônia (Fita).

Benigna a trabalho, na Rota do Avuado, em Salinas (PA)

Na entrega do clipping que resumia o trabalho coordenado pela jornalista Carmen Palheta, uma das mais competentes assessoras com quem trabalhei, recebi o convite do presidente da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), Adenauer Góes, para integrar a equipe de comunicação. A condição era ter disposição para aprender sobre a indústria do turismo, descrever o Pará como “A Obra-Prima da Amazônia”. Os primeiros textos, ele ditava para mim, depois revisava, sugeria. E o aprendizado me serviu. Muitos outros colegas da área do marketing contribuíam diariamente. Aí, virou rotina, regra, quase um vício.

Paratur: um período de construção em todos os sentidos

Boa parte da equipe de marketing e de fomento era movida por uma paixão, um desejo de transformar o Pará em um destino imbatível. Cumpriam um calendário que em meados de 2006 chegava a 44 feiras anuais no Brasil e exterior. Entre 2007 e 2010, quando eu não estava lá, mas apoiava a divulgação pela Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (ABRAJET), o planejamento avançou para o turismo interno, fortaleceu os municípios. A retomada, entre 2011 e 2017, assegurou voos diretos entre Belém e Miami, Belém e Lisboa, Belém e Suriname. Pautar a imprensa positivamente, substituir as manchetes nacionais com a gastronomia, a cultura, a biodiversidade amazônica era muito gratificante.  Ao criarmos o Prêmio de Jornalismo em Turismo “Comendador Marques dos Reis”, acho que deixamos, na ocasião, uma ferramenta que conecta o Pará à imprensa nacional e mundial.

Benigna, apurando uma notícia

Marcos da carreira de jornalista de viagens

[Tive alguns momentos marcantes, como] cobrir a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), quando a comitiva do Pará levou junto a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, símbolo maior do Círio, e a cantora Fafá de Belém. Foi inesquecível também relatar a participação do Pará na Expocatólica e Jornada Mundial da Juventude, quando a comitiva do Pará entregou a réplica da nossa “Nazinha” ao Papa Francisco. As transmissões para a Rádio Cultura e as matérias enviadas ao Pará eram carregadas de emoção. Momentos gratificantes.

O Festival de Ópera do Marajó foi uma iniciativa linda, da Família Brito, em especial da Kátia Brito. Uma poesia, algo incrivelmente pensado de forma grandiosa: ópera no meio do mangue, no coração da floresta marajoara, na Fazenda São Jerônimo. Tenho certeza que assim como eu, o Zeca Camargo e outros jornalistas e operadores de turismo nunca vão esquecer.

Benigna, na Ópera do Marajó, com Zeca Camargo e Conceição Silva da Silva (diretora da Paratur)

Gosto muito [também] de uma cobertura sobre a conexão do destino Pará com o Suriname. Foi importante para mim, ao mesmo tempo que conheci o Pará, conhecer outros países, especialmente Guiana Francesa, Orlando, Suriname e Portugal.

Jornalismo de turismo: o lado feliz da vida

Por conta da pandemia, acho que este é um momento reflexivo para nós. A responsabilidade com a vida alheia não nos permite escrever como antes, divulgar nossos destinos e visitar os demais. Ainda assim, ser jornalista de turismo é ter a oportunidade de nos dedicarmos ao lado feliz da vida, é traduzir em nossas palavras, imagens e dicas, a mensagem de que existem infinitas possibilidades de se buscar e alcançar sonhos e alegrias. Quando ficamos parados, a vida é mais lenta, monótona. Mas quando viajamos ou inspiramos alguém a viajar, também inspiramos vida, felicidade, esperança. Então, que nunca nos falte essa inspiração e coragem.

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    CNC: volume de receitas do turismo brasileiro encolheu 36,6% em 2020

    Entretanto, segundo a CNC,, a expectativa da vacinação traz a projeção de um avanço de 18,8% Com as medidas restritivas impostas nos estados brasileiros, em...

    Porto de Galinhas lança campanha de incentivo para agentes de viagens

    Nesta quinta-feira (22), Porto de Galinhas lançará uma campanha de incentivo voltada para os agentes de viagens com intuito de ajudar os profissionais do...

    Viação Executiva é alternativa para viagens privadas

    Em momentos de pandemia, poder contar com aeronaves privadas é um privilégio, especialmente se essa possibilidade vem acompanhada de uma oferta de serviço que...

    Hotéis de Floripa personalizam roteiros com foco no turismo de natureza

    Com as mudanças de hábitos e comportamento dos turistas por causa da Covid 19, os destinos turísticos precisaram se adaptar às novas tendências e...

    United Airlines tem prejuízo de US$ 1,357 bi no 1º trimestre

    A United Airlines registrou prejuízo líquido de US$ 1,357 bilhão no primeiro trimestre de 2021, em resultado melhor do que o divulgado no mesmo...

    American Airlines suspende voos para a América do Sul

    A American Airlines anunciou na segunda-feira que reduzirá voos para alguns destinos na América do Sul porque a pandemia Covid-19 diminuiu a demanda. EDIÇÃO DO...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing
    Olá.
    Esse é um canal exclusivo para Pautas e Marketing.