Eventos Corporativos Não Pararam e Não vão Parar!

A vida de cada um de nós é entrelaçada por inúmeros eventos, não só no âmbito social, mas também no lazer, na educação, na religião, na política, e é claro, no mercado de trabalho.

por Andréa Nakane*


Em março de 2020, com a definitiva oficialização da chegada do Sars-Cov 2019 ao Brasil, tudo mudou, com inúmeras interrupções de projetos e ações. Porém na área de eventos, o que presenciamos foi uma migração, em um primeiro momento, até caseira, mas depois uma total imersão de forma criteriosamente profissional na entrega de produções digitais que permitiram a continuidade do uso dessa ferramenta como um meio de comunicação dirigida de grande impacto.

No ambiente corporativo, as reuniões foram mais que nunca essenciais para manter equipes alinhadas e coesas e outros tipos de eventos como convenções, workshops, palestras, lançamentos de produtos, entre outros, foram organizados para manter a conexão de marcas e seus diversos grupos de interesse.

No intuito de colaborar com a continuidade dessa atividade, fornecendo insights mais dirigidos, a profissional Simone B. Lara, com mais de 20 anos de experiência como gestora de vendas e marketing de redes hoteleiras, lançou recentemente um livro sobre Eventos Corporativos na plataforma Amazon.

E justamente por isso convidamos Simone B. Lara para trocar ideias em mais uma edição do nosso café virtual.

- Advertisement -

Andréa Nakane: Simone, mais um filho, mais um livro… esse é o seu segundo. Você já tinha escrito, Marketing e Vendas na Hotelaria, lançado pela Editora Futura em 2000, sendo inclusive recomendado pelo MEC e adotado por diversas faculdades de turismo e hotelaria.

Por que o livro nesse momento? Há uma tendência das pessoas investirem mais em ampliar seus conhecimentos?

Simone B. Lara: Eu sempre tive uma vida muito corrida. Tenho interesses diversos e faço coisas diferentes ao mesmo tempo. Antes da pandemia eu representava o Panrotas no Rio, dava aulas no curso de Organizador de Eventos no Senac, de Mercado da Longevidade na FGV e fazia eventos sociais corporativos na minha empresa Season Eventos, além de escrever para o <https://cinzapoderoso.blog/> cinzapoderoso.blog. Com a paralisação de diversas atividades relacionadas ao meu dia a dia, tive a oportunidade de escrever. Eu como professora, sentia que faltava um livro ainda mais específico sobre eventos corporativos, com a complexidade de assuntos e detalhes , além das novas habilidades que tivemos todos que aprender neste período.

Andréa Nakane: Como Como você avalia o momento que esse mercado passa agora?

Simone B. Lara: O mercado está ávido para voltar a se encontrar olho no olho. Não há nada que se compare a isto na troca de experiências, desenvolvimento de negócios, consolidação de mercado e networking. Tão logo os governos forem liberando os eventos testes, haverá um procura, tanto para os organizadores como para os expositores e isto atrairá também o público. Enquanto isto não acontece, vamos nos conformando com os eventos on-line e híbridos. Embora estes eventos já fizessem parte do cardápio dos organizadores, eram pouco utilizados e havia pouca expertise. A pandemia fez com que todos procurassem atualizações, especializações e mais que nunca a criatividade teve que sobrepor às dificuldades. Então, além das dificuldades financeira dos produtores de eventos e toda a cadeia produtiva relacionada impostas pela pandemia, há um novo desafio atrelado às novas tecnologias, que vieram para ficar, mesmo com a liberação dos eventos presenciais.

Andréa Nakane: E especificamente o mercado corporativo? Há boas perspectivas na sua opinião?

Simone B. Lara: O mercado corporativo está só esperando ter a chance para iniciar os eventos. De todos os tipos: treinamento, lançamento de produtos, assembleias de acionistas, confraternizações e celebrações de resultados, etc. Todos os stakeholders aguardam a oportunidade de se encontrarem. Há uma expressão sobre o cansaço do uso das telas: a síndrome do zoom ou o “zooming”. Ninguém aguenta mais. Acredito que o novo desafio será conseguir disponibilidade de local e agenda para dar conta da demanda reprimida.

Andréa Nakane: O que na sua opinião, no mercado de eventos corporativos se tornou algo obsoleto e algo que podemos indicar como a bola da vez?

Simone B. Lara: O que ficou obsoleto são as tecnologias, os discursos intermináveis e a intenção de uma comunicação de cima para baixo. Novas tecnologias foram apresentadas, os eventos precisam despertar todos os sentidos, promover oportunidades de comunicação horizontal e dar voz a todos. É preciso promover o networking e o engajamento.

Andréa Nakane: E o seu livro, também está na versão e-book, não dava para ser diferente não é? Como podemos ter acesso?

Simone B.Lara: O livro está disponível na Amazon, tanto em forma de e-book , como impresso. Link :https://www.amazon.com/dp/B095M5HHY6?ref_=pe_3052080_397514860

Andréa Nakane: Compartilhe conosco, por favor, uma reflexão sobre os eventos corporativos

Simone B. Lara: Realizar um evento corporativo nunca foi tarefa simples e a Covid-19 trouxe novos desafios. O livro aborda as fases de um evento presencial, virtual ou híbrido: pré-evento, transevento e pós-evento. Apresenta sugestões e ferramentas de planejamento de todos os detalhes, a partir da definição das metas e objetivos, assim como o público alvo. A gestão financeira com o gerenciamento das despesas e de possíveis receitas, sejam através de captação de patrocínios ou através de outros meios.

A curadoria a partir do número de pessoas e das sessões deve promover o engajamento através do conteúdo relevante, da gamificação e/ou atrações de entretenimento, sem esquecer do protocolo e do cerimonial. O organizador de eventos é um elo com todos os fornecedores dos muitos serviços necessários: marketing, alimentos e bebidas, equipamentos audiovisuais e tecnologia de transmissão, cenografia, logística, segurança, seguros e demais serviços. A transformação de um evento presencial para on-line ou híbrido não é tarefa simples. A forma como os participantes interagem com o conteúdo e entre si são diferentes. Desde as inscrições, o cenário, a forma de engajamento, os brindes, a avaliação, etc.  E é exatamente esse conteúdo que busquei abordar nessa obra.

Andréa Nakane: Sim… conhecimento nunca será em demasia, ainda mais nesse período de buscar respostas e pensar fora de qualquer limitação geométrica. Mais que outrora é vital investir nesse processo, pois rapidamente ele é incorporado a nossa bagagem e nos permite oferecer soluções mais interessantes e exitosas.

Vamos, então, à leitura!


Obra Citada: EVENTOS CORPORATIVOS Presenciais, On-line e Híbridos 
Neste livro são abordadas as as fases de um evento presencial, virtual ou híbrido: pré-evento, transevento e pós-evento.

Segundo a autora, são apresentadas sugestões e ferramentas de planejamento de todos os detalhes, a partir da definição das metas e objetivos, assim como o público alvo.

A gestão financeira com o gerenciamento das despesas e das receitas possíveis, seja através de captação de patrocínios ou através de outros meios.

A curadoria a partir do número de pessoas e das pessoas devem promover o engajamento através do conteúdo relevante, da gamificação e / ou configuração de entretenimento, sem esquecer do protocolo e do cerimonial.

O organizador de eventos é um elo com todos os fornecedores dos serviços serviços: marketing, alimentos e bebidas, equipamentos audiovisuais e tecnologia de transmissão, cenografia, logística, segurança, seguros e demais serviços.



*Andréa Nakane é profissional da área de Eventos e Hospitalidade há cerca de 28 anos. Explora com sutilezas acadêmicas e humanas  os detalhes que fazem a diferença mercadológica entre simplesmente ser algo mecânico e opta por peculiaridades que vão muito além da razão, pois envolve emoções. É diretora da empresa de eventos Mestres da Hospitalidade. Escreve para o DIÁRIO desde 2010.

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    Mostra de Cinema de Gostoso tem apoio do governo do RN

    Entre os dias 26 e 30 de novembro, a praia do Maceió se transformará em uma sala de cinema à beira mar com exibição...

    Copa Airlines celebra 15 anos de operações no Rio de Janeiro

    A companhia opera no Rio de Janeiro com dois voos diários conectando a cidade com 65 destinos, em 28 países da América do Sul...

    Abeta Summit 2021 debate o ecoturismo e turismo de aventura no Brasil

    Promovido pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), evento acontece até este sábado Por Redação Sob o tema (Re)Construindo um Turismo...

    Roda-gigante de Faz do Iguaçu (PR) será inaugurada em dezembro

    Foz do Iguaçu foi escolhida por atrair brasileiros e estrangeiros e por ser um destino que alia belezas naturais com uma ótima estrutura de...

    Seridó (RN) pode se tornar segundo geoparque do país reconhecido pela UNESCO

    O Geoparque Seridó compreende seis municípios do Rio Grande do Norte: Acari, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Lagoa Nova e Parelhas Edição DIÁRIO...

    Aparecida quer se posicionar como destino de férias

    Para mostrar a cidade além do turismo religioso, cidade investe em press trip com jornalista Por Amadeu Castanho Interessadas em estimular o perfil do turismo local,...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing