Espanha alarma Europa sobre possível segunda onda de coronavírus

O ritmo de contágios cresce na Espanha. Isso já vinha sendo observado há quatro semanas, mas se intensificou nos últimos dias. No tabuleiro europeu, proporcionalmente à população, a Espanha ocupa agora o quinto lugar em incidência do coronavírus, atrás de Luxemburgo, Romênia, Bulgária e Suécia. Segundo os últimos dados do Centro Europeu de Controle de Doenças (ECDC), de 25 de julho, a Espanha tem 39,4 casos por 100.000 habitantes (incidência acumulada nos 14 dias anteriores). O Reino Unido, que no domingo decretou a quarentena forçada para qualquer pessoa que chegue da Espanha, dando com isso o tiro de misericórdia na temporada turística do país mediterrâneo, está em 14,7. A situação britânica é similar à da França (14,6) e, em comparação à Alemanha (7,7 por 100.000), a Espanha tem o quíntuplo de contágios.

Situação desigual

O fato é que a situação epidemiológica na Espanha é muito desigual. Há algumas comunidades (regiões) com um número de contágios tão alto que puxa a média para cima. Não há termo de comparação, por exemplo, entre a incidência acumulada de Aragão (237,86 casos por 100.000 habitantes) com as Astúrias, que detectaram apenas dois pequenos focos desde o início da desescalada, no começo de maio. Sua incidência é de 1,66 casos por 100.000 habitantes. As Astúrias estão agindo com rapidez e com transparência. Assim que detectou o último foco, relacionado com uma cervejaria em Oviedo, a capital regional informou à população, deu o nome do local e, além disso, pediu a colaboração dos cidadãos: todo aquele que tivesse passado pelo Urban’s devia ligar para o 112. Em questão de dois dias as autoridades sanitárias fizeram 400 exames PCR para detectar mais eventuais casos positivos entre os clientes.

Faz algumas semanas que a situação em outros lugares não permite realizar essa mobilização, nem sequer um rastreamento mais modesto dos contatos. Tem sido assim na Catalunha: na área metropolitana de Barcelona, em comarcas de Lleida e numa zona de Girona passou-se dos surtos ao que se conhece como transmissão comunitária, ou seja, a um número de contágios sem conexão entre si, o que impede o monitoramento da cadeia de transmissão. Descontrolados, enfim. A incidência acumulada em 14 dias na Catalunha, que nesta semana tomou a decisão de fechar todos os seus espaços de lazer noturno, está em 111,57 casos por 100.000 habitantes. O último relatório da Generalitat (Governo regional) informa sobre 886 novos diagnósticos num único dia (não todos feitos por PCR, o que significa que alguns podem ser contágios antigos).

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial