Blue Tree Hotels recoloca e capacita refugiados no mercado de trabalho

Segunda edição do programa “Viver sem fronteiras, construindo juntos o bem-receber”, promove a diversidade e recolocação no mercado de trabalho 

Durante evento realizado na última semana, no Blue Tree Premium Morumbi, em São Paulo (SP), a Blue Tree Hotels realizou a segunda edição do programa “Viver sem fronteiras, construindo juntos o bem-receber”, que capacita e emprega emigrados. O encontro contou com a presença da presidente da rede, Chieko Aoki, além da equipe responsável pela capacitação dos participantes.

Idealizado pela executiva da rede e conduzido pelos colaboradores dos hotéis, o programa contou com a participação de importante instituições parceiras, como o Grupo Mulheres do Brasil, Fox Time, Estou Refugiado, Aldeias infantis, Missão Paz, CAMI, Instituto A.E Carvalho, Acnur, Lar Compassiva e Cáritas.

“Estamos muito felizes com a oportunidade de capacitar e de dar emprego para quem precisa de ajuda na nova terra que adotaram. E a resposta dos emigrados tem sido bastante positiva”, afirma Chieko Aoki, presidente da Blue Tree Hotels.

Durante 8 dias, Bianca Del Vale e Kunda Miluida da Venezuela, Marie Wislande do Haiti, e Claudia Lando, Ilda Kundi Garcia de Angola e Didier Mbundu Konde do Congo, tiveram aulas práticas e teóricas sobre a operação hoteleira, cultura, valores, missão, apresentação pessoal, treinamentos de postura e empregabilidade, além de exercícios direcionados às funções de camareira e mensageiro. Os participantes participaram, ainda, da palestra Alfabetização Emocional, com Jamile Coelho, e Apresentação Pessoal, com Patrícia Renata Westarb Sakaramachi, da WS Cosméticos.

Equipe do hotel reunida
A Blue Tree Hotels, de propriedade do grupo Chieko Aoki Management Company capacita profissionais refugiados (foto: divulgação)

“Cuidamos de pessoas, sem distinção. Cuidamos de clientes, da nossa equipe e de parceiros. Isso nos une e cria um sentimento de família que infuencia na qualidade do trabalho”, ressalta a empresária.

Segundo dados divulgados pelo Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), no mês de junho de 2021, na 6ª edição do relatório “Refugiados em Números”, o Brasil reconheceu, apenas em 2020, mais de 26 mil refugiados de diversas nacionalidades.

De acordo com a análise, durante o ano de 2020, o país recebeu aproximadamente 30 mil pedidos de refúgio, envolvendo pessoas de 113 países. A maior parte dos solicitantes, 17 mil, é de nacionalidade venezuelana (60,2%). Em seguida, destaca-se o número de solicitações de haitianos (6.613 mil), que representaram 22,9% do total.

A maioria dos requerentes é homem (57,3%). As mulheres representam 42,7%. A maior parte dos solicitantes tinha entre 25 e 39 anos, seguida pela faixa etária de 15 a 24 anos.

O levantamento também mostrou que dos 60 mil refugiados e imigrantes no país, cerca de 24 mil foram inseridos no mercado de trabalho no ano passado.


Edição do DIÁRIO com agências

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial