O Anel Encantado – Crônica de Osvaldo Alvarenga

“Você come um pêssego e saboreia a fruta. Em seguida, você pode jogar fora o caroço ou pode quebrá-lo com uma pedra e saborear a castanha que tem no seu interior”. Assim são os contos Sufi; que há séculos vêm sendo usados para transmitir ensinamentos. São histórias às vezes engraçadas, aparentemente ingênuas ou absurdas e com várias camadas de significado. Hoje não falo de viagens, compartilho a história de um certo anel encantado que, seja nos momentos de intenso sofrimento ou naqueles de grande euforia, nos ajuda a voltar ao equilíbrio. 

Contam os antigos que um rei poderoso, que governava muitos domínios, depois de um sonho convocou os sábios do reino para uma reunião:

— Não sei o motivo, mas preciso encontrar alguma coisa que sirva para me inspirar em cada momento da vida. Quero algo que me conforte quando eu estiver feliz ou quando eu estiver triste; que eu possa usar ante às vitórias e às derrotas. Preciso encontrar uma inspiração que faça equilibrar meu estado de ânimo. Que seja um conselheiro para quando eu não tiver com quem me aconselhar, e que responda a todas as perguntas. Preciso que vocês procurem e me tragam uma tal preciosidade.

Os sábios ficaram surpresos e, sem entender o que significava aquele pedido, se puseram a discutir entre eles. Após intensos debates e profunda análise, decidiram procurar os grandes mestres por todas as terras conhecidas. Muito tempo passou até que voltassem com a resposta. Traziam com eles um magnífico anel de diamantes que continha palavras mágicas grafadas no lado de dentro do aro.

O mais velho entre os sábios do reino, o conselheiro mais experiente, foi escolhido para comunicar ao rei a resposta que tanto ansiava. Aproximou-se do governante e pediu que ele estendesse a mão para receber a jóia. Depois de colocar o anel no dedo real anunciou:

— Este anel contém gravado no seu interior uma mensagem oculta que não pode ser revelada apenas por curiosidade, porque nesse caso perderá todo o seu significado. Vossa Majestade terá que levar sempre consigo essa jóia, mas só poderá ler as palavras nela contidas em caso de extrema necessidade; somente quando sentir-se só e em desalento.

O rei ouviu o conselheiro com atenção e na frente de todos fez o juramento que manteria o anel no dedo e só leria as palavras mágicas quando estivesse em desespero extremo.

Tempos depois, houve um ataque surpresa e o castelo foi tomado pelos invasores. Apesar da sua bravura, o rei foi obrigado a fugir para salvar a própria vida e preservar a coroa de seu reino. Seus oponentes não teriam piedade se o capturassem, tomariam o trono, e seus súditos estariam perdidos.

Enquanto fugia, o rei podia ouvir o som dos cascos dos cavalos dos inimigos que seguiam no seu encalço. Os cavaleiros que o acompanhavam, e que lutaram ao seu lado desde a invasão, foram caindo pelo caminho. Seu cavalo morreu de cansaço. A pé, o rei passou a correr. Exausto e com os pés sangrando, procurou um lugar para esconder-se daqueles que o perseguiam cada vez mais de perto. Subiu por um caminho íngreme, um monte só de pedras, até chegar ao topo, num ponto onde não havia saída. A trilha chegou ao fim. Não havia mais nada à sua frente senão um desfiladeiro profundo. Os sons que ecoavam das patas dos cavalos pisando forte o solo indicavam que vinham a galope e que estavam perto. De súbito, o rei decidiu saltar, mas, ao atingir a beira do abismo percebeu que não teria chance: se chegasse vivo lá abaixo, teria que enfrentar a ferocidade de leões famintos à procura de caça. Não podia pular, não podia ficar, seus algozes chegariam logo. Ele sentiu que vivia os seus momentos finais. Estava desesperado. Não restava mais tempo. Foi quando o rei tirou o anel do dedo e leu as palavras gravadas no seu interior:

ISTO TAMBÉM PASSARÁ

Naquele instante o rei teve uma profunda compreensão e uma grande tranquilidade se abateu sobre ele. Tudo silenciou. Seus inimigos não o viram, seguiram noutra direção. Finalmente o rei pôde descansar. Dormiu por longo tempo, e quando acordou seguiu em passos firmes na direção do castelo. No caminho conseguiu reunir o seu exército, camponeses juntaram-se ao monarca, e juntos lutaram contra os tiranos. Meses depois de renhidas batalhas, os invasores foram expulsos do reino. De volta ao castelo o rei reassume a sua condição de soberano e senhor de muitos domínios.

Os dias que se seguiram foram de grande euforia e muitas celebrações por todos os cantos do reino. O povo estava feliz, dançava nas ruas iluminadas por fogos de artifício. O rei sentia-se radiante, pleno e poderoso. Sentia uma euforia tão grande que achou que poderia morrer. Então tirou o anel do dedo e novamente leu as palavras:

ISTO TAMBÉM PASSARÁ

E uma vez mais aquela revelação acalmou o seu coração.



*Osvaldo reside em Lisboa e escreve para os blogs: Flerte, sobre lugares e pessoas e Se conselho fosse bom…, sobre vida corporativa e carreira. Atuou por 25 anos no mercado de informações para marketing e risco de crédito, tendo sido presidente, diretor comercial e diretor de operações da Equifax do Brasil. Foi empresário, sócio das empresas mapaBRASIL, Braspop Corretora e Motirô e co-realizador do DMC Latam – Data Management Conference. Foi diretor da DAMA do Brasil e do Instituto Brasileiro de Database Marketing – IDBM e conselheiro da Associação Brasileira de Marketing Direto – ABEMD, dos Doutores da Alegria e, na Fecomercio SP, membro do Conselho de Criatividade e Inovação.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

O que os hoteleiros falam sobre as OTA’s que não querem negociar

Em um momento como esse que o país atravessa, um  número cada vez maior de pequenos e médios hotéis, pousadas e até grandes hotéis...

CNC projeta queda de 6,1% no PIB em 2020

Diante da incerteza em relação à superação da crise provocada pelo novo coronavírus e do grau de contaminação da economia, a Confederação Nacional do...

Empresas conseguem suspender pagamento de energia na primeira instância

Uma empresa que está em recuperação judicial conseguiu na Justiça o direito de pagar apenas a energia consumida. A empresa havia comprado energia no...

Universal Orlando Resort anuncia reabertura de alguns hotéis a partir do dia 2 de junho

A partir de 2 de junho de 2020, alguns hotéis do Universal Orlando Resort irão reabrir para os hóspedes. A reabertura desses hotéis será...

Bolivianos voltarão para casa depois de meses retidos na Alemanha

Os membros de uma orquestra boliviana que inclui flautas tradicionais esperam voltar para casa na próxima semana depois de ficarem retidos em um castelo...

Senado aprova projeto que oferece crédito para profissionais liberais

Em sessão remota nesta quinta-feira (28), o Plenário do Senado aprovou o projeto que abre linha de crédito especial para profissionais liberais durante a...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias