Portugal surpreende – por Osvaldo Alvarenga*

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.”
Alberto Caeiro.

Por cá, aos poucos, vamos deixando o confinamento. As cidades vão se abrindo e os hotéis estão preparados para receber os hóspedes com bastante segurança. Fomos ver – nessa hora é importante apoiar o turismo. A escassez de estrangeiros, a abundância de ofertas, a comemoração do meu aniversário, tudo convergia para a viagem. O Minho não conhecíamos; só Guimarães. Viajamos. Uma semana inteira de andanças. Ponte de Lima foi a vila escolhida como base. Pela própria e por ficar equidistante de todas as aldeias, outras vilas e cidades que queríamos conhecer: Estorãos, Arcos de Valdevez, Sistelo, Ponte da Barca, Soajo, Rouças, o Santuário de Nossa Senhora da Peneda, Lindoso, Castro Laboreiro, Valença, o Castro de Santa Trega, na Galícia, Caminha, Viana do Castelo, o Santuário de Bom Jesus do Monte, Braga e Barcelos. Na volta ainda fizemos um desvio por Tomar.

Portugal surpreende, disse o Bob quando viu os vídeos que compartilhei pelo Whatsapp. As paisagens ora remetem ao Peru, a terraços incas, ora ao norte da Escócia, com suas estradas sinuosas e estreitas, alternadas por castelos em ruínas, ora ao que eu esperava ver no Minho, suas vinhas exclusivas e aldeias de pedra. País tão pequeno e tão diverso de natureza, de cultura e de culinária, o Minho tem sotaque e léxico próprios, com palavras novas e outras conhecidas que ganham sentido diverso: espigueiro, inverneira, branda, parola, mordoma… e para não esquecer, maduro se o vinho for tinto, o tinto verde é muito mau. Também própria é a gastronomia com pratos cujos nomes são bem peculiares: arroz de pica no chão, papa ou arroz de sarrabulho, frigideiras, rojões à minhota, lampreia à bordalesa, arroz de lavagante, bacalhaus, cabritos e borregos variados; quase todos muito calóricos, pratos que pedem o inverno como acompanhamento. Fora os rojões em Viana do Castelo, ficamos no trivial, as refeições foram leves. É que o verão está de matar!

A Iêda observou, e bem, como nós no Brasil vamos perdendo os nossos rios. Aqui, parece, eles permanecem na alma da pessoas.

Para tanto calor, não faltam aos minhotos, as praias fluviais e cachoeiras. Cruzamos não sei quantos rios, encontramos tantas fontes, água limpa e fresca onde matei a sede, atravessamos pontes medievais, perdi a conta de quantas, vimos gente e vida nas várzeas. A Iêda observou, e bem, como nós no Brasil vamos perdendo os nossos rios. Aqui, parece, eles permanecem na alma da pessoas. Às margens jardins e praias. Nos dias quentes o banho, a brincadeira n’água, o caiaque, a pesca com vara, o prazer de desfrutar do rio no coração da cidade e da memória que ele representa como marco da cultura e de influências. No Brasil, parece, vamos esquecendo dessa interação; vamos matando, cobrindo e secando os nossos rios. Sobra o esgoto.

Dei minhas primeiras braçadas no Velho Chico, em Pirapora, Minas, na década de 70. A vazante do rio, mesmo controlada na represa de Três Marias, era tanta no verão que as águas tudo cobriam e invadiam a parte baixa da cidade. Largo, foi preciso uma ponte de 700 metros de extensão para cruzá-lo. A velha Marechal Hermes continua lá como cartão postal das cidades nas duas margens. Se antes o rio São Francisco ia bater no meio do mar, agora é o mar que avança sobre o Velho Chico. A época das enchentes frequentes passou. O coitado anda franzino, fraco e degradado. Se fomos capazes de deixar assim o rio da integração nacional, quanto mais a ribeira que corre no nosso bairro. Nem damos por sua existência. Cobicei todo o Minho, rios, praias, fontes e cachoeiras, para mim.

—————————————————————————————————-

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Osvaldo Alvarenga
Osvaldo Alvarenga
*Osvaldo reside em Lisboa e escreve para os blogs: Flerte, sobre lugares e pessoas e Se conselho fosse bom…, sobre vida corporativa e carreira. Atuou por 25 anos no mercado de informações para marketing e risco de crédito, tendo sido presidente, diretor comercial e diretor de operações da Equifax do Brasil. Foi empresário, sócio das empresas mapaBRASIL, Braspop Corretora e Motirô e co-realizador do DMC Latam – Data Management Conference. Foi diretor da DAMA do Brasil e do Instituto Brasileiro de Database Marketing – IDBM e conselheiro da Associação Brasileira de Marketing Direto – ABEMD, dos Doutores da Alegria e, na Fecomercio SP, membro do Conselho de Criatividade e Inovação.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


    Mais recentes

    Governo do Guarujá refuta erro em notícia que anuncia restrição hoteleira após reclassificação do Plano SP

    Conforme anunciado pelo Governo de São Paulo e veiculado pelo DIÁRIO, no último dia 30 de novembro, o poder público estadual fez uma reclassificação...

    Arquitetos e historiadores apoiam abaixo-assinado contra privatização do Ginásio do Ibirapuera

    Um abaixo-assinado contra o Projeto de Concessão do Governo do Estado para os equipamentos do Ginásio do Ibirapuera e do Conjunto Desportivo "Constâncio Vaz...

    GOL realiza voo institucional com executivos e colaboradores em seu Boeing 737 MAX

    A GOL realizou nesta quinta-feira (3/12) mais uma etapa importante para o retorno do Boeing 737 MAX à operação: um voo institucional para executivos...

    Com protocolos minuciosos, Feira de Turismo e Negócios do Festival das Cataratas é aberta aos participantes

    Para o idealizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli, cuidado com a saúde e expansão da tecnologia são conquistas das feiras neste período POR ZAQUEU...

    Azul apresenta sua aeronave Ararinha Azul, em Viracopos (Veja Vídeo)

    A aeronave Ararinha Azul da Azul Linhas Aéreas foi apresentada nesta quinta-feira (3) em Viracopos no centro de manutenção da companhia, ao lado do...

    Em solenidade de abertura, 15º Festival das Cataratas destaca a retomada do turismo no Brasil

    “Estamos no momento da retomada, da esperança”, afirmou o idealizador e organizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli POR ZAQUEU RODRIGUES O Festival de Turismo das...

    Relacionadas

    Open chat