Hotéis de São Paulo se recuperam e melhoram desempenho, aponta pesquisa

A 16ª edição da pesquisa da série exclusiva com os hotéis de São Paulo, realizada pela ABIH – SP, resume o desempenho da hotelaria paulista no mês de outubro/21. Destaque para o atingimento de 100% dos hotéis abertos, do universo pesquisado, contra 98,43% no mês de setembro/21. E da retomada discreta do corporativo.

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências


Importante reiterar e frisar: as comparações foram feitas com o mesmo período de 2019, na pré-pandemia. Os números de 2020, em função da pandemia, distorcem dados comparativos.

Pesquisa foi realizada de forma independente e adotou alguns comparativos com dados de outras entidades para rerratificar as análises. Entre outras, as entidades de referência e comparação foram InFOHB, Observatório do Turismo de São Paulo, Visite Campinas, ACE Ilha Bela, Caraguatatuba e São Sebastião.

Em outubro/21, a relação funcionários/Uhs aumentou para 0,40, boa recuperação de +14,28% em relação a setembro/21. No entanto, este indicador ainda apresenta cerca de 33,34% de decréscimo, em comparação com o início desta série histórica.

Neste mês de outubro/21, houve mais variações positivas do que negativas, nos resultados de Ocupação e Diária Média das MRTs pesquisadas. Mas ainda aquém do ideal. As MRTs com apelo corporativo apresentaram bons sinais de recuperação, em clima de retomada.

Previsão é que em novembro, com a volta dos eventos corporativos, os hotéis entram em um cenário de expectativa otimista. Já o lazer, considerando a temporada de férias, alimenta expectativa otimista.

Taxa de Ocupação

A taxa de ocupação acumulada do Estado ficou em 50,28%, ou 9,16% maior que setembro/21. Porém, registrou variação de -25,58% em relação a outubro/19. Repete-se o resultado pelo terceiro mês consecutivo – a maior taxa de ocupação apurada desde o início da série.

Do total de hotéis em São Paulo, apenas 5,25% das Unidades de Habitação (apartamentos) continuam fechados

Em outubro/21, as MRTs apresentaram variação mesclada em relação a setembro/21. Destaques para as regiões predominantemente corporativas. como Capital Paulista, Capital Expandida e Região de Ribeirão Preto, por conta da liberação dos eventos. Houve apenas três MRTs que apresentaram retração.

Tendência é que os polos corporativos incrementem as taxas e receitas, a partir de novembro. E as boas perspectivas pela entrada da alta temporada de lazer – até março/22.

Referência importante: o status de fechado diz respeito à declaração dada de inoperação no momento da pesquisa. Não há como considerar a condição de fechamento provisório ou definitivo. Este status traz a variação mês a mês de propriedades declaradas.

Diária Média

A análise do indicador da Diária Média de outubro/21 coloca em destaque os seguintes pontos:

A Diária Média acumulada do Estado foi de R$ 257,96, que representa uma variação de -17,99% em relação a outubro/19. Em outubro/21, em relação a setembro/21, houve +1,85% de crescimento. E cinco MRTs apresentaram variação negativa. Não houve destaques positivos e nem negativos, as variações foram poucas.

A expectativa segue a tendência da análise das taxas de ocupação. Ou seja: recuperação gradativa do corporativo e o segmento de lazer sinalizando positivo, por conta de proximidade da alta temporada.

Todos os hotéis pesquisados se declararam em funcionamento no mês de outubro 

RevPar

Os pontos mais relevantes, conforme análise do indicador da RevPar de outubro/21, foram os seguintes:

O RevPar acumulado do Estado foi de R$ 129,70, que representa variação de -38,97% em relação a outubro/19. E +11,18%, na comparação com setembro/21.

Em outubro/21, somente quatro MRTs apresentaram variação negativa em relação a setembro/21. As demais registraram variação positiva.

Encontro Anual

Os resultados da pesquisa ABIH-SP, referentes a novembro/2021, serão apresentados no Encontro Anual do dia 6/12, das 9h00 às 17h30, no Sheraton São Paulo WTC Hotel. A entidade convida investidores, fornecedores, distribuidores, autoridades públicas e os meios de hospedagem para um Encontro Anual.

Temas-chave: “Performance da Hotelaria nas Capitais Brasileiras”; “Futuro da Hotelaria na Cidade de São Paulo”; “Performance da Hotelaria Paulista”; “Como usar os dados para acelerar as vendas do seu hotel”; “Pós-Pandemia, o Que Pensam e Qual a Estratégia dos Gerentes Gerais” e “Multipropriedades: O que é esse mercado e tendências”.

A pesquisa completa o leitor encontra neste link:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT