Viagem: vale a pena comprar antecipadamente?

Na hora de planejar aquela viagem tão esperada, muitas pessoas ficam em dúvida se é realmente melhor comprar antecipadamente ou deixar para próximo da hora de viajar.

Agências

Seja passagens, hotéis ou passeios, a dúvida da real vantagem de comprar tudo antecipadamente ainda faz os viajantes perder o sono. Muito se discute sobre a antecedência ideal para viagens, seja nacional ou internacional, viajando na baixa ou alta temporada.

Mas, em se tratando da pandemia do novo coronavírus, vale a pena comprar antecipadamente a viagem e agendar para o final do ano ou para 2021?

 

É vantajoso comprar a viagem com antecedência?

Diferente do que muitos pensam, comprar uma viagem com bastante antecedência não é vantajoso. No caso das passagens aéreas, por exemplo, é raro encontrar promoções de passagens de 6 meses a 1 ano de validade. Então, quem compra com antecipadamente nem sempre pagará mais barato.

A temporada também influencia nos valores e antecedência necessária para fechar sua viagem. Na baixa temporada é bem possível encontrar valores mais baixos, por ter uma procura menor por passagens e hospedagens.

Em alta temporada, no Brasil, por exemplo, inclui os meses de dezembro a fevereiro e o mês de julho, os valores tendem a ser mais altos do que viajar no mês de maio, por exemplo, excluindo-se os feriados.

Portanto, a economia compreende, especialmente, a data de viagem e não apenas o dia que você compra as passagens ou faz suas reservas. Vale salientar que algumas empresas lançam promoções relâmpagos e isso pode ocorrer a qualquer hora e dia da semana.

Qual a antecedência ideal para comprar a viagem?

Se sua viagem for nacional e em baixa temporada, o indicado é com cerca de 30 dias de antecedência. Já para passagens, comprar muito antes ou na hora da viagem pode fazer com que você pague ainda mais caro. Uma viagem internacional, em baixa temporada, é ideal adquirir a viagem com cerca de 45 dias antecipados.

Em alta temporada, recomenda-se a antecedência de 60 a 30 dias para viagens dentro do Brasil e 120 a 60 dias para viagens ao exterior. Principalmente no caso de viagens para destinos nacionais, comprar com mais de 60 dias antes do embarque, zera suas chances de pagar um preço promocional.

O ideal, no caso de voos, é acessar os sites que comparam as companhias e preços para aquele trajeto, e te enviam alertas sobre o menor preço. No caso de hotéis e pousadas, procure pela hospedagem em sites que comparam os valores, para garantir a melhor taxa possível.

Além disso, quem contratar o seguro viagem com cobertura para cancelamento ou adiamento da viagem, poderá usufruir o benefício sem transtornos.

Desvantagens em comprar passagens aéreas antecipadamente

Quando se compra a passagem com muito tempo de antecedência, são muitas as chances de ter surpresas desagradáveis. A companhia pode deixar de realizar aquele trajeto ou alterar o horário que costuma operar aquele voo, tendo que te alocar em outro ou alterar o horário.

Com isso, o serviço de traslado que você tinha intenção de utilizar pode não ser mais oferecido, uma nova companhia pode começar a oferecer o trajeto que você irá utilizar e oferecer valores mais baixos, ou em casos extremos, a companhia pode sofrer economicamente e parar de operar completamente.

Mas, pior que comprar antecipadamente, com muitos dias de diferença, é comprar em cima da hora. No Brasil raramente existem promoções de última hora e as companhias tendem a cobrar muito por passagens de urgência.

Em casos como o da pandemia do coronavírus, como ficam as viagens compradas com antecedência? Posso utilizar disso para comprar uma viagem?

No caso da pandemia do coronavírus, o cenário mundial econômico ainda é uma incógnita. Como foi um caso sem precedentes, que surpreendeu todo o mundo, as companhias e agências de viagens estão esticando os prazos e facilitando muito a remarcação das viagens já compradas.

Além disso, muitas empresas estão oferecendo promoções para viagens para o fim do ano ou para o ano que vem. Essa atitude visa amenizar os impactos que a quarentena está causando na economia.

Ao comprar uma viagem agora, tenha em mente que o cenário pode mudar muito após o surto da doença. Então, é preciso ter muita atenção voltada para essa questão e considerar todas as vantagens e possíveis desvantagens, como o caso de valores ainda mais acessíveis.

No geral, as pessoas estão optando por aproveitar as ofertas. Mas, não se pode deixar de verificar todas as cláusulas, especialmente, em relação a alteração da data de viagem.

 

 

Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Bolivianos voltarão para casa depois de meses retidos na Alemanha

Os membros de uma orquestra boliviana que inclui flautas tradicionais esperam voltar para casa na próxima semana depois de ficarem retidos em um castelo...

Senado aprova projeto que oferece crédito para profissionais liberais

Em sessão remota nesta quinta-feira (28), o Plenário do Senado aprovou o projeto que abre linha de crédito especial para profissionais liberais durante a...

Alfredo Lopes, presidente do Hotéis Rio: as OTA’s não querem negociar!

Nas negociações para a retomada, o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro (SindHotéis RJ) vem convidando para a mesa...

Rano Raraku: a fábrica de moais da Ilha de Páscoa

15 ANOS DIARIOS - Publicado dia 13 de agosto de 2017Por Paulo Atzingen (de Angaroa, Ilha de Páscoa)Entender a forma como as estátuas da...

Tribunal de Justiça de São Paulo suspende cobrança de dívida de agência de viagens

Diante de um cenário de prejuízo na casa dos bilhões, uma companhia aérea não pode se permitir a ressarcir bilhetes e viagens em prazo elástico...

Azul lança sua revista digital de bordo

A revista de bordo da Azul ganha hoje mais uma versão. A companhia lança uma plataforma de conteúdo online para a Revista Azul, que,...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias