10 locais que recordam às raízes de Curitiba

Em 324 anos, Curitiba agregou uma grande diversidade cultural,
fruto das diferentes etnias e nações que a colonizaram.
A arquitetura, gastronomia e até o sotaque são frutos dessa miscigenação

REDAÇÃO DO DT com agências –

Nas manhãs de domingo, no Memorial de Curitiba, a Fundação Cultural promove o Pavilhão Étnico com apresentações folclóricas de vários países e etnias.

Veja alguns locais da cidade que marcam a importância desses povos:

  • Parque Tingui

O nome do parque é uma homenagem ao povo indígena que primeiro habitou a região de Curitiba. Os tinguis eram índios combativos, hábeis na execução de armas e utensílios de pedra. O nome tingui significa “nariz afinado”.

O parque tem uma área de 380 mil m², com lagos, parquinhos e ciclovias e foi inaugurado pelo prefeito Rafael Greca em 1994. Cumpre um importante papel ambiental na proteção da bacia do Rio Barigui.

Localização: Entre as ruas Rua Fredolin Wolf e José Valle, ao longo do Rio Barigui – São João.

  • Bosque Portugal

O Bosque Portugal possui um painel decorativo e vinte pilares decorados com azulejos pintados à mão, com trechos de poesias de autores brasileiros e lusitanos. O espaço foi inaugurado em 1994.

Localização: Rua Fagundes Varela – Jardim Social.

  • Praça Zumbi dos Palmares

A contribuição das tradições africanas para o Brasil é muito profunda e toca diversos traços da nossa cultura: gastronomia, música, dança, costumes e muito mais.

Um marco da cultura africana em Curitiba, a Praça Zumbi dos Palmares homenageia um ícone da resistência contra a escravidão. Lado a lado, 54 totens de quatro metros de altura representando cada nação da África. Duas colunas representam a Educação e a Cultura centradas sobre um piso de petit-pavê que compõe um mapa do continente africano. A praça foi inaugurada em 2010.

Localização: Rua Elói Orestes Zeglin – Pinheirinho.

  • Portal Italiano

Para homenagear a vinda desses imigrantes, o Portal Italiano foi inaugurado em setembro de 1990. O portal marca a entrada do bairro de Santa Felicidade, maior polo gastronômico da cidade e um dos marcos da cultura italiana na capital.

Localização: Avenida Manoel Ribas – Mercês.

  • Bosque Alemão

O Bosque Alemão é uma homenagem à imigração alemã em Curitiba. Inaugurado em 1996, o local guarda o Oratório de Bach, que homenageia o compositor alemão Johann Sebastian Bach, enquanto a Torre dos Filósofos homenageia os grandes pensadores germânicos. A Trilha de João e Maria, personagens do conto dos irmãos Grimm, passa pela Casa da Bruxa, uma biblioteca infantil com espaço para encenações de contos e fábulas.

Localização: Rua Francisco Schaffer – Vista Alegre.
Horário: 8h às 20h – Durante toda a semana

  • Memorial Polonês

O Memorial Polonês foi inaugurado em 1980 para marcar a visita do Papa João Paulo II. É formado por casas tradicionais polonesas, remontadas no bosque. Dentro das casas podem-se encontrar antigos artefatos utilizados pelos imigrantes. Uma das casas abriga a Capela em homenagem a Nossa Senhora de Czestochowa, padroeira da Polônia.

Localização: Rua Euclides Bandeira – Centro Cívico.
Horário: 9h às 18h – de terça-feira a domingo

  • Memorial Árabe

O Memorial Árabe foi inaugurado em 1996 a fim de homenagear os imigrantes da região que contribuíram para a formação da cidade. A construção abriga o Farol do Saber Gibran Khalil Gibran, poeta e filósofo libanês marcou época ao produzir obras literárias respeitadas em todo o mundo.

Localização: Praça Gibran Khalil Gibran – Centro Cívico.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 21h, e aos sábados, das 9h às 13h.

  • Memorial Ucraniano

O Memorial Ucraniano localiza-se no Parque Tingüi e foi inaugurado em 1995. No espaço encontra-se uma réplica da Igreja Ortodoxa de São Miguel Arcanjo, localizada no interior do Paraná. O interior da igreja é utilizado como museu. Nele encontram-se os tradicionais Pêssankas (Pysanka), símbolos de boa fortuna na cultura Eslava.

Localização: Rua Dr. Mba de Ferrante, Parque Tingui – São João.
Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h.

  • Praça da Espanha

A Praça da Espanha foi inaugurada na década de 1990, e possui o Farol do Saber Miguel de Cervantes, onde está o busto do famoso escritor espanhol. Próximo à praça encontram-se muitos restaurantes e bares, ótimos para um roteiro gastronômico.

Localização: Rua Coronel Dulcídio – Bigorrilho.

  • Praça do Japão

A Praça do Japão é uma homenagem aos imigrantes japoneses e possui o Portal Japonês, o Memorial da Imigração Japonesa, a Biblioteca Municipal da Praça do Japão, onde estão disponíveis publicações em japonês, a Casa de Chá, e ganhou a Casa da Cultura, onde é possível conhecer as dobraduras de papel (origami), da arte floral (ikebana) e dos poemas de três versos (haikai).

Localização: Avenida Sete de Setembro – Água Verde.
Horário: Praça (aberta diariamente).
Casa da Cultura – 9h às 18h (terça-feira a domingo)
Cerimônia do Chá – 9h às 16h (quintas-feiras)

(Lucas Kina)
Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Lembro o Tob – Crônica de Osvaldo Alvarenga*

Faz anos, muitos, a mãe deixou seu apartamento em Juiz de Fora e foi viver numa pequena cidade ali perto, em casa ampla com...

Live solidária arrecada R$ 84 mil para profissionais de turismo de Foz do Iguaçu

Cerca de 600 pessoas, entre guias de turismo, taxistas, motoristas e camareiras, de Foz do Iguaçu, foram beneficiadas pela live solidária na usina de...

Pousada Casa de Maria, em Prado-BA, reabre seguindo protocolos de saúde e segurança

Estabelecimento recebe Selo Turismo Responsável do Ministério do Turismo  No último dia 1º de julho (quarta-feira) a Pousada Casa de Maria (www.pousadacasademaria.com.br), localizada em Prado...

SWISS faz primeiro voo após a retomada da rota São Paulo-Zurique 

Com os três voos por semana da SWISS, somados aos cinco de Lufthansa, o Lufthansa Group passa a conectar o Brasil com a Europa...

Carambeí: memória, fé e trabalho marcam viagem aos Campos Geraiss

15 ANOS DIÁRIOS - 10 de setembro de 2017 São casas, ferramentas, tratores, comidas, vestimentas, modo de se vestir e falar e uma infinidade de...

Denilson Althmann, do Park Inn By Radisson Santos: “hospitalidade continuará, sem ou com máscara”

Precursor das perguntas diretas aos seus interlocutores em busca de respostas objetivas e  francas, o DIÁRIO retoma seu quadro "TRÊS, QUATRO OU CINCO PERGUNTAS...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias