A estreia da mulher na história da aviação e seus laços com Saint-Exupéry

Saint-Exupéry é autor do livro “O Pequeno Príncipe” mais consagrado em vendas no mundo superado apenas pela Bíblia e pelo Alcorão

por José Augusto Wanderley*


Numa época em que a aviação mundial ainda dava seus primeiros passos, é natural ouvirmos falar de alguns nomes de aviadores homens, como Santos Dumont, Saint-Exupéry, Jean Mermoz, Marcel Reine, Edu Chaves, Roland Garros, entre outros. Mas um nome em especial, pode-se considerar que é um marco nessa história. Anne Lindbergh, também foi pioneira e escritora. Foi esposa do famoso aviador Charles Lindbergh, o primeiro a fazer um voo, no avião “The Spirit Off Saint Louis” de Nova York a Paris em 38 horas e 31 minutos, em 1929, cruzando o Atlântico Norte pela primeira vez na história da aviação.

Anne foi esposa do famoso aviador Charles Lindbergh, o primeiro a fazer um voo, no avião “The Spirit Off Saint Louis” de Nova York a Paris (Crédito: arquivo pessoal)

A afinidade de sua esposa Anne com Saint-Exupéry se revelou em vários momentos, visto que em uma de suas passagens pelos Estados Unidos, o piloto e escritor escreveu o prefácio do livro de Anne, chamado “The Wind”. Anne, com a ajuda de seu marido, estava aprendendo a pilotar, e de acordo com os jornais da época, naquele mesmo ano, ela viria a ser uma grande aviadora inspirando outras mulheres de diversos países.

Dito e feito, além de escritora, ela se tornou a primeira mulher americana a obter o brevê de piloto de planador, e ainda conseguiu o recorde de permanência no ar batido também pela aviadora Maryse Bastié. A facilidade de Maryse no meio aéreo fez com que ela ficasse conhecida rapidamente na França. Ela foi a primeira aviadora francesa a tirar o brevê e a atravessar o Atlântico Sul de Dakar a Natal-BR, obtendo um grande número de reconhecimentos.

Anne Lindbergh: pioneira e escritora (Crédito: arquivo pessoal)

Também não poderíamos deixar de enaltecer, as primeiras pilotas brasileiras, Anélia Pinheiro Machado, Thereza de Marzo e Ada Rogato, que foram as primeiras mulheres a tirarem o brevê de piloto no Brasil, além de conseguirem feitos como pilotar num voo interestadual pela primeira vez e a pilotar um planador no país.

Colaborou: Jornalista Nicole Vieira


José Augusto Cavalcanti Wanderley é administrador, jornalista, publicitário e o criador da casa da cultura do Pequeno Príncipe, a “La Grande Vallée”, em Itaipava, no Rio de Janeiro. É ali que Augusto Wanderley inspira os ares da Mata Atlântica e se inspira na obra e na vida do escritor e aviador Antoine de Saint-Exupéry. Augusto Wanderley recebeu títulos de destaque como Homem de RH e Marketing Best do Estado do Rio de Janeiro, é cidadão Petropolitano e Embaixador do Turismo pelo Rio de Janeiro por seus serviços prestados à preservação da memória da aviação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT