Air France reduz emissões de CO2 em dois voos a partir de Paris-Charles de Gaulle

A companhia aérea Air France continua dando exemplos de ações sustentáveis. Em meados de abril, a companhia lançou o “Air France ACT”, programa que apresenta sua nova trajetória de descarbonização para atingir 30% menos emissões de CO2 por passageiro/km até 2030 comparado a 2019, ou seja, 12% menos emissões totais.

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências


Em nota, a empresa informa que para ilustrar os caminhos pelos quais este objetivo pode ser alcançado, implementou neste mês uma série de ações em dois de seus voos a partir de Paris-Charles de Gaulle.

O projeto é parte do “Skyteam Sustainabile Flight Challenge”, uma iniciativa voltada a estimular e encorajar a inovação ao convidar os membros da aliança Skyteam a operar o máximo possível de voos ecorresponsáveis entre 1º e 14 de maio de 2022.

O DIÁRIO reproduz aqui alguns passos deste projeto:

A Air France pretende:

  • Mensurar e ilustrar a efetividade de métodos já implementados e comprovados, como a nova geração de aeronaves, o combustível sustentável de aviação (SAF), o eco-piloting, e o uso de rampas elétricas e equipamento de transporte de cargas.
  • Explorar novos caminhos que podem ser aproveitados no future, como o uso extensivo de inteligência artificial para otimizar vias aéreas, ou o uso de tratores autônomos para transporte de bagagens.
  • Oferecer aos clientes um catering local, sazonal e sustentável, limitando o desperdício de alimentos ao permitir que possam escolher o menu de bordo antes mesmo de voar, e limitar a utilização de plásticos de uso único.

A operação ocorreu em dois voos comerciais, um para Montreal operado por um Airbus A350 em 3 de maio de 2022, e o outro para Lisboa, em 4 de maio de 2022, operado por um Airbus A220. Estas novas gerações de aeronaves, que estão no centro da estratégia da Air France de renovação de frota, consomem 20 a 25% menos combustível do que em aeronaves de gerações anteriores. A pegada de ruído, por sua vez, é reduzida em um terço. Até 2030, estas aeronaves serão 70% da frota da Air France, comparado a 7% atualmente, graças a um investimento de 1 bilhão de Euros por ano entre agora e 2025.

O voo para Montreal foi abastecido com 16% de combustível sustentável de aviação (SAF) e o voo para Lisboa com 30% de SAF, comparado com 1% usado em voos partindo da França sob as atuais regulamentações. Estes combustíveis não-fosseis são produzidos a partir de biomassa como óleo de cozinha usado. Portanto, não compete com a cadeia de produção alimentar e permitem uma redução média de 80% nas emissões de CO2 comparada ao combustível convencional ao longo do seu ciclo de vida completo. Tendo os óleos vegetais usados como exemplo, isso significa levar em conta a captura de CO2 durante o crescimento da planta, sua primeira vida como óleo de cozinha, sua reciclagem e seu uso como combustível de aviação.

Em solo e a bordo, os pilotos implementaram técnicas de eco-pilotagem, como taxiamento com apenas um motor e otimização de trajetos em tempo real, em coordenação com o controle de tráfego aéreo.

50% menos emissões de CO2

O uso destes métodos permitiu uma redução próxima de 45% em emissões de CO2 em cada um dos voos*. Esta operação e seu resultado significativo foram possíveis por conta do compromisso de diversos setores da Air France — pilotos, comissários, equipes de solo, carga e pessoal de manutenção, serviços comerciais e apoio operacional. Diversas outras companhias e parcerias também contribuíram para esta conquista, como Airbus, TotalEnergies, Groupe ADP, Servair, Charlatte, Navya e os aeroportos de Lisboa e Montreal. Esta ação conjunta está em linha com a convicção da Air France de que a descarbonização do setor aéreo será resultado de uma colaboração com fabricantes, companhias aéreas, autoridades aeroportuárias, autoridades públicas e órgãos nacionais e internacionais.

“Após o anúncio de nossos novos objetivos de redução de emissão de CO2 com base na ciência, era importante para nós ilustrar em termos concretos como nosso setor deve se transformar para responder à emergência climática. Em dois voos, para Montreal e Lisboa, envolvemos nossos parceiros e clientes em um processo focado em comprovar a performance dos procedimentos existentes e em propor novas soluções para dar um passo a mais em nossos esforços de redução de emissões. Nossa transição ambiental é exigente e complexa, mas não é uma opção. A Air France está determinada a explorar todas os caminhos de inovação usados por outros membros da Skyteam, que compartilha da ambição de tornar o transporte aéreo compatível com os objetivos do Acordo de Paris”, destacou Vincent Etchebehere, vice-presidente de Sustentabilidade e Novas Mobilidades da Air France.

Os indicadores, como os níveis de redução de CO2 para cada uma das ativações, bem como o feedback dos clientes presentes nos dois voos, serão analisados. Esta informação será usada para avaliar as formas mais apropriadas de limitar a pegada de carbon nas operações futuras da Air France.

Estas conclusões serão compartilhadas com outras companhias aéreas da SkyTeam que integram o SkyTeam Sustainable Flight Challenge.

Toda a estratégia ambiental da Air France pode ser consultada no website dedicado do Air France ACT.

Ações implementadas em cada etapa da viagem

Antes do voo

  • Uma mensagem é enviada aos passageiros pedindo para limitarem o volume e peso de suas bagagens. Para diminuir o desperdício de comida, são incentivados a pré-selecionar as refeições para que apenas os produtos necessários sejam embarcados;
  • Nos lounges, produtos mais sustentáveis, locais e sazonais são oferecidos e materiais ecorresponsáveis são utilizados;
  • Operações de solo completamente elétricas, push-back elétrico da aeronave, transporte da tripulação com ônibus elétricos entre sua base e o estacionamento da aeronave e o transporte elétrico de cargas.

A bordo

  • Uso de aeronaves de nova geração (Airbus A350, Airbus A220) emitindo até 25% menos CO2;
  • 16% de uso de Combustível Sustentável de Aviação (produzido pela TotalEnergies) no voo para Montreal e 30% no voo para Lisboa, permitindo uma redução de 90% nas emissões de CO2 durante todo o ciclo de vida, maior que a média de 80% da indústria.
  • Uso de técnicas de eco-pilotagem (taxiar com apenas um motor, uso de inovações a bordo para otimização de trajetória, otimização de subida e descida), permitindo 3% a 4% de redução no consumo de combustível em cada voo;
  • Uso de equipamento mais sustentável de catering (mais leve, nova geração de trolleys, lixeiras recicladas e para recicláveis, utensílios feitos de celulose, talheres e palitos de madeira FSC, copos de papel, retirada de garrafas de plástico individuais);
  • Reduzir o desperdício com a escolha de uma refeição quente antes do voo em todas as cabines e distribuindo kits conforto (produzidos a partir de materiais recicláveis e contendo cosméticos orgânicos) quando solicitados em Business Class e Premium Economy;
  • Coleta seletiva a bordo: separação de garrafas plásticas, caixas de suco e latas;

Introdução de um serviço de catering mais sustentável, inteiramente preparado na França, com uma opção 100% vegetariana em voos de média distância e a possibilidade de passageiros viajando para Montreal de escolher antes do voo entre uma refeição vegetariana ou com carne da França, ou peixes da pesca sustentável da MSC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial