Alexis Simonovic, presidente do Ente Mixto El Calafate: “estamos esperando novas políticas comerciais”

Redação do DIÁRIO

Durante a World Travel Market (WTM), ocorrida em São Paulo na semana passada, as secretarias de Turismo de Puerto Madryn, Ushuaia e El Calafate, na Argentina, apresentaram a aliança estratégica Patagônia Fantástica de promoção turística dos destinos argentinos de Península Valdés, El Fin del Mundo e das geleiras. O objetivo é conquistar ainda mais o mercado brasileiro com um circuito integrado. “Temos uma aliança estratégica composta por esses três destinos mais importantes da Patagônia que vendemos e oferecemos com produtos diferentes, que não competem entre si. São  produtos muito fortes. Se o turista vai à Patagonia, visita os três lugares e possivelmente vai também à Bariloche, como a quarta cidade”, informa Alexis Simunovic, presidente do “Ente Mixto El Calafate”.

Cristiane Cavalli, da Secretaria de Turismo de Ushuaia, foi a responsável pela capacitação, que despertou o interesse de muitas agências e operadoras.

Conectividade garantida

Ainda, segundo Alexis, com as mudanças de governo, sua entidade está propondo novos caminhos. “Com o presidente Maurício Macri e com uma nova presidência da Aerolíneas Argentinas, estamos esperando uma nova política comercial. O destino é muito dependente do aéreo, já que as distâncias até a Patagônia são muito grandes, tudo é muito longe. Acreditamos que a Aerolíneas continue trabalhando e fomentando esta rota e incitando a conectividade com Bariloche, Ushuaia, Buenos Aires e todas as conexões que foram conquistadas e agora espera-se que continue assim. Este é um dos principais objetivos a curto prazo”, disse ao DIÁRIO.

Brasil ocupou espaço

Ainda, segundo Alexis, a longo prazo quer incentivar o turista brasileiro a visitar sua região. “Brasil foi o país que mais cresceu nos últimos anos em Calafate. Historicamente Calafate tem 50% de turismo nacional argentino e os outros 50% de estrangeiros, dos quais, durante muitos anos, tivemos como principal cliente a Europa e a Espanha, principalmente. Esta posição foi tirada pelo Brasil, quando a Espanha teve problemas econômicos e passou por recessão, o Brasil foi o mercado que ocupou o espaço. Por mais que esteja passando por um momento delicado, há muita gente com poder aquisitivo, acreditamos no potencial brasileiro”, afirmou Alexis. 

 

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

O fim da crise e o novo normal. Mas nem tão novo assim. (LEIA ou OUÇA!)

por Otávio Novo* No turismo , ou em qualquer atividade, a gestão de riscos e crises se apresenta como uma organização ampla e contínua, com...

Rede Blue Tree oficializa sua cooperação com profissionais da Saúde

A rede Blue Tree Hotels oficializou nesta quinta-feira (9) sua participação na guerra contra o coronavírus e abre seus hotéis no Brasil para receber...

Costa Cruzeiros amplia a pausa voluntária de cruzeiros até 30 de maio

A Costa Cruzeiros amplia a pausa voluntária de seus cruzeiros até o dia 30 de maio. Devido à prolongada situação de emergência ligada à...

Novotel Itu apoia órgão de Saúde e assistenciais do município de Itu (SP)

Na manhã da última quarta-feira (8) o Novotel Itu Golf & Resort localizado em Itu, realizou um café da manhã especial para profissionais de...

15 filmes relacionados ao tempo para ver na quarentena

Diante da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social já é realidade de muitos países, inclusive do Brasil. Para lidar com esta situação, é...

Palavra da Presidente do GCVB: Pleitos da hotelaria em defesa do setor de turismo em Guarujá

Em razão do novo coronavírus (Covid-19), por determinação do Governo do Estado de São Paulo, o período de quarentena foi prorrogado até o próximo...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias