Gap Year: período sabático para quem deseja se encontrar na vida e na carreira

Por. Pamela Piazentin*

O termo Gap Year ainda não é muito conhecido no Brasil, mas enquanto se populariza, muitos brasileiros já estão investindo neste novo jeito de fazer intercâmbio. Ele é bastante escolhido por jovens e adolescentes entre a fase final do ensino médio e pré-faculdade justamente para testar aptidões enquanto se viaja o mundo.

Com a diversa gama de opções e o perfil cada vez mais flexível do profissional no mercado de trabalho, fica ainda mais difícil de encontrar a profissão a se seguir e de escolher um curso superior ao final do ensino médio tendo certeza absoluta de que é isso que se “quer fazer o resto da vida”.

O Gap Year, ou ano sabático, entra como peça chave justamente nesse meio tempo. Há destinos ao redor do mundo que atendem ao desejo e perfil de qualquer pessoa. Em uma mesma viagem, por exemplo, a pessoa pode passar um tempo aprendendo sobre moda em Nova Iorque, gastronomia em Paris e fazer trabalhos voluntários e sociais no Quênia. A gama de opções é muito diversa e no período de um ano pode-se fazer qualquer coisa que lhe agrade e agregue.

Além disso, a pessoa já volta com o aprendizado de um ou mais idiomas, além de ter aperfeiçoado diversos “skills” necessários para a vida acadêmica e, claro, para o mercado de trabalho. Inclusive, o Gap Year também tem como objetivo a preparação para os “applications”, período de inscrições para universidades no exterior.

O Gap Year também busca conectar as pessoas a diversos trabalhos voluntários ao redor do mundo. O objetivo de crescer e se encontrar, não é apenas intelectual ou profissionalmente, mas, sem dúvidas, como pessoa em sociedade.

E, claro, embora ainda seja em menor quantidade, profissionais em período de transição de carreira, ou até mesmo pessoas da terceira idade, também já estão buscando neste tipo de viagem

E, claro, embora ainda seja em menor quantidade, profissionais em período de transição de carreira, ou até mesmo pessoas da terceira idade, também já estão buscando neste tipo de viagem, se reencontrar pessoal e profissionalmente, enquanto realizam o projeto de viajar o mundo.

A nível mundial, ainda não há como mensurar quantas pessoas optam por um Gap Year, mas, a estimativa da “The American Gap Association” diz que mais de 70 mil norte-americanos optam por esse tipo de intercâmbio anualmente. No Brasil, de acordo com uma pesquisa da Belta, associação nacional das agências de intercâmbio, em dois anos mais de 90,9 mil estudantes optaram por um curso no exterior após terminar o ensino médio.

Além disso, mesmo com o mercado financeiro em crise, em 2018, o Brasil teve um aumento de 20,46% em pessoas embarcando, totalizando 365 mil intercambistas, contra os 302 mil viajantes de 2017. Para se ter uma ideia, o brasileiro movimentou entre US$ 2,7 e 3 bilhões de dólares em programas educacionais no último ano, diz a mesma pesquisa.

Mais que apenas um ano sabático, o Gap Year é um período em que você investe em si mesmo. Essa pausa na rotina nos ajuda a olhar para dentro, mudar hábitos, entender o que não nos faz feliz, além de proporcionar mais confiança, autoconhecimento e amadurecimento, pessoal, intelectual e profissional para dar uma guinada e turbinada no currículo ou até mesmo para mudar tudo e dar uma repaginada em tudo que for necessário para valorizar o que é, de fato, importante em nossas vidas.

*CEO da Teraví, edutech que personaliza viagens de estudos internacionais de acordo com o perfil dos estudantes

Avatar
Redaçãohttps://www.diariodoturismo.com.br
Primeiro e-Diário de Turismo do Brasil

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Lembro o Tob – Crônica de Osvaldo Alvarenga*

Faz anos, muitos, a mãe deixou seu apartamento em Juiz de Fora e foi viver numa pequena cidade ali perto, em casa ampla com...

Live solidária arrecada R$ 84 mil para profissionais de turismo de Foz do Iguaçu

Cerca de 600 pessoas, entre guias de turismo, taxistas, motoristas e camareiras, de Foz do Iguaçu, foram beneficiadas pela live solidária na usina de...

Pousada Casa de Maria, em Prado-BA, reabre seguindo protocolos de saúde e segurança

Estabelecimento recebe Selo Turismo Responsável do Ministério do Turismo  No último dia 1º de julho (quarta-feira) a Pousada Casa de Maria (www.pousadacasademaria.com.br), localizada em Prado...

SWISS faz primeiro voo após a retomada da rota São Paulo-Zurique 

Com os três voos por semana da SWISS, somados aos cinco de Lufthansa, o Lufthansa Group passa a conectar o Brasil com a Europa...

Carambeí: memória, fé e trabalho marcam viagem aos Campos Geraiss

15 ANOS DIÁRIOS - 10 de setembro de 2017 São casas, ferramentas, tratores, comidas, vestimentas, modo de se vestir e falar e uma infinidade de...

Denilson Althmann, do Park Inn By Radisson Santos: “hospitalidade continuará, sem ou com máscara”

Precursor das perguntas diretas aos seus interlocutores em busca de respostas objetivas e  francas, o DIÁRIO retoma seu quadro "TRÊS, QUATRO OU CINCO PERGUNTAS...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias