Feira de Cantão: veja dicas para quem quer visitar a maior feira da Ásia

Em 2018, a expectativa é que a feira movimente mais de 30 bilhões de dólares em negócios

por Rodrigo Luis*
A Feira de Cantão é um dos momentos mais esperados da economia e do turismo na Ásia. Tudo porque o complexo de 1,1 milhão de metros quadrados, o equivalente a mais de 100 campos de futebol, abriga nada mais, nada menos do que 60 mil estandes. A edição de primavera será realizada entre os dias 15 e 19 de abril, em Guangzhou, na China, e são esperados mais de 200 mil compradores de todo o mundo.
Fundada na primavera de 1957, a Canton Fair (Feira de Cantão) é uma feira multisetorial que engloba todo o tipo de produto e acontece em 4 fases. Para se ter uma ideia, não dá para visitar todos os estandes em cinco dias pois o centro de exposições é imenso e é impossível andar por toda ela. Por este motivo é imprescindível ter um direcionamento feito por uma empresa especializada.
Os executivos brasileiros, por exemplo, precisam ser direcionados para os negócios de seus interesses senão ficarão perdidos com a infinidade de estandes. A negociação de preços, visita de fábricas e acompanhamento do embarques dos produtos da China para o Brasil também é algo que precisa ser acompanhado de perto.

Oportunidade única

Tendo participado da Feira de Cantão em diversas ocasiões desde 2005, posso dizer que essa é uma oportunidade única de encontrar, em um só lugar, inúmeras novidades em produtos de diferentes setores da indústria e fazer importantes conexões de negócios. Após quase 60 anos de desenvolvimento, a feira é hoje uma das mais importantes ferramentas para a promoção e expansão do comércio internacional chinês em todo o mundo e a participação dos brasileiros na feira já é tradicional. A cada ano que passa milhares de empresários vêm do Brasil e diversos países do mundo para a China na busca de novos fornecedores e parceiros para seus negócios e com os avanços econômicos entre os dois países é possível esperar que essa busca se torne ainda mais frequente.
A zona de exportação da Canton Fair é composta por mais de 20 mil empresas de comércio externo, fábricas, instituições de investigação científica, além de companhias com investimento externo, único e privado. Em 2018, a expectativa é que a feira movimente mais de 30 bilhões de dólares em negócios.

Veja dicas para quem quer visitar a Feira de Cantão:

– É impossível visitar todos os complexos em um único dia, seja apenas olhando e andando pelos corredores.
– Nunca vista roupas pesadas e use sapatos ou tênis confortáveis.
– Tenha um objetivo senão você vai enlouquecer com tanta novidade.
– Não deixe de assistir os shows no corredor central, pois são realmente muito interessantes.
– Não deixe de tirar uma foto com o segurança ao lado das portas de entrada. Se você conseguir fazer ele sorrir, poderá ganhar um dinheiro como recompensa.
– Não espere pegar um táxi depois das 15h sem ao menos esperar uma hora.
Quase que simultaneamente à Feira de Cantão também acontecem as edições de primavera da Hong Kong Eletronics Fair e Global Sources Consumer Eletronics (Crédito divulgação)
Quase que simultaneamente à Feira de Cantão também acontecem as edições de primavera da Hong Kong Eletronics Fair e Global Sources Consumer Eletronics (Crédito divulgação)

A Hong Kong Eletronics Fair é mais voltada para eletrônicos e produtos finais e é uma das feiras mais requisitadas da Ásia. Engoloba desde componentes eletrônicos até cadgets, materiais eletrônicos e de segurança. Esta feira ajuda muito quem procura novidades no mundo eletrônico e automação, desde que tenha uma assessoria profissional para isso.

Organizada pelo Conselho de Desenvolvimento do Comércio de Hong Kong (HKTDC), a Feira de Eletrônica de Hong Kong e a International ICT Expo receberam mais de 94 mil compradores de 138 países em 2017, um aumento de 1,4% em relação a 2016. O número de compradores de mercados maduros como Japão e Coreia do Sul registrou crescimento, enquanto os compradores de mercados emergentes, incluindo o continente chinês, Brasil, Índia e Rússia, registraram um aumento percentual de dois dígitos.
Rodrigo Luis*Rodrigo Luis é sócio-diretor da Winpoint Technology e mora em Shenzhen, na China, desde 2009

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial