IATA pede assistência ao governo para implementar a rede 5g

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) pediu aos governos que trabalhem em estreita colaboração com o setor da aviação para garantir que os sistemas de segurança da aviação possam coexistir com segurança com os novos serviços 5G.


Embora a IATA reconheça a importância econômica de disponibilizar o espectro para as telecomunicações comerciais sem fio da próxima geração, manter os níveis atuais de segurança de passageiros, tripulações e aeronaves deve continuar como uma das maiores prioridades dos governos. O pedido foi feito na 78ª Assembleia Geral Anual da IATA em Doha, Qatar.

Não devemos repetir a experiência recente nos Estados Unidos, quando a implementação de serviços 5G de espectro de banda C criou uma enorme interrupção nos serviços da aviação devido ao risco de interferência nos radioaltímetros que são fundamentais para os sistemas de pouso e segurança das aeronaves. Na verdade, muitos países, como Brasil, Canadá, França e Tailândia, conseguiram gerenciar com sucesso os requisitos dos provedores de serviços 5G, incluindo as mitigações necessárias para preservar a segurança da aviação e garantir serviços ininterruptos”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Antes de decidir sobre a alocação ou realizar leilões de espectro, a IATA pediu aos governos que garantam a coordenação e entendimentos mútuos entre os reguladores do espectro nacional e da segurança da aviação, para que cada alocação/atribuição de frequência seja estudada de forma detalhada, com evidência de que não causará impacto negativo na segurança e eficiência da aviação.

As medidas que já foram utilizadas por alguns governos incluem:

  • Garantir testes completos, separação de espectro suficiente entre implementações de banda C do 5G e banda de frequência de 4,2-4,4 GHz usada pelos radioaltímetros existentes.
  • Codificar e aplicar claramente o limite máximo de potência para transmissão de banda C do 5G e inclinação para baixo de antenas de 5G, principalmente nas proximidades de rotas de voo.
  • Estabelecer a proibição de banda C do 5G e zonas de precaução suficientes ao redor dos aeroportos

A Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) e a União Internacional de Telecomunicações (UIT) reconheceram e lembraram seus estados-membros e administrações sobre a importância de garantir que os sistemas e serviços de aviação atuais não tenham interferência negativa.

Isso se tornará ainda mais importante à medida que mais espectro for alocado para os serviços de telecomunicações da nova geração.


EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial