Dario Rustico, da Costa Cruzeiros, fala sobre a importância das práticas sustentáveis da companhia

Preocupação com o combate ao desperdício, preservação dos mares e redução de resíduos são destaques na operação da Costa Cruzeiros

Por Hugo Okada

A sustentabilidade é uma tendência mundial já há muitos anos. Cada vez mais empresas alinham suas atividades e produção de forma que minimiza o impacto causado ao meio ambiente. Com o Turismo não é diferente. O novo viajante, ou “millennials” estão cada vez mais engajados no tema e interessados em saber, no momento em que planejam suas férias, quais ações sustentáveis são mantidas pelo meio de hospedagem e/ou empresa prestadora de serviços.

O DIÁRIO conversou com Dario Rustico, presidente executivo da Costa Cruzeiros para América do Sul e Central para entender quais medidas sustentáveis são praticadas pela companhia. Para a Costa Cruzeiros, “a sustentabilidade é um ativo estratégico”. Confira.

DIÁRIO – Quais ações concretas de sustentabilidade promovidas pela Costa Cruzeiros no Brasil? A Costa possui um cálculo de quanto economiza em ações sustentáveis em sua operação?

Dario Rustico – Para a Costa Cruzeiros, a sustentabilidade é um ativo estratégico. Sempre nos voltamos para uma abordagem de inovação responsável. A partir de uma agenda sustentável, temos a oportunidade de identificar soluções e promover novas formas de economia. Somos a primeira empresa da indústria de cruzeiros a aceitar o desafio de atuar em linha com os objetivos da Agenda 2030 e estamos enfrentando essa questão com grande senso de responsabilidade. Um exemplo desse compromisso são os dois novos navios que encomendamos, os primeiros do setor de cruzeiros movidos por Gás Natural Liquefeito (GNL), o combustível fóssil mais limpo do mundo atualmente. Os dois novos navios levarão a uma redução substancial nas emissões de CO2, óxido nitroso, dióxido de enxofre e outras partículas. O GNL ficará armazenado a bordo e será utilizado durante a navegação para fornecer 100% da energia dos cruzeiros, reduzindo assim as emissões de gás e protegendo o meio ambiente. Outro ponto importante foi a redução do lixo produzido diariamente, por passageiro, a bordo da frota da Costa. Em 2017, esse montante caiu 4,4%, e o consumo total de água diminuiu 2%.

Em nosso Relatório de Sustentabilidade “Sea You Tomorrow – A Route to the Future”, divulgado em meados de 2018, apresentamos resultados significativos, alcançados graças a uma abordagem integrada e multisetorial que envolve diferentes públicos, incluindo os hóspedes a bordo. Lançamos o programa 4GOODFOOD, que visa reduzir o desperdício de alimentos a bordo dos navios em 50% até o ano de 2020. Único programa do setor marítimo focado na valorização dos alimentos e no consumo consciente, o 4GOODFOOD coloca o cidadão e o hóspede em destaque. O projeto contempla desde a revisão da oferta gastronômica disponível a bordo até o gerenciamento do excedente de alimentos por meio da conscientização da tripulação e dos hóspedes de que eles devem se envolver diretamente no desafio global de reverter o desperdício de alimentos a bordo dos navios 10 anos antes do objetivo proposto pela Agenda 2030 da ONU.

Combate ao desperdício

Rustico – Também no combate ao desperdício de comida e à pobreza temos uma parceria com a Fundação Banco Alimentare Onlus desde o final de 2017. O objetivo é recuperar o excedente de alimentos produzidos nos navios e reutilizá-los para causas sociais. O projeto já está em andamento nos destinos italianos de Savona, Palermo, Bari e Civitavecchia, e nas cidades de Barcelona, Espanha; e Marselha, na França. Recentemente, o programa foi introduzido em Guadalupe, no Caribe. Os pratos preparados nos restaurantes e não servidos aos hóspedes são coletados, refrigerados e repassados para instituições de apoio a jovens com problemas familiares durante as paradas dos navios da Costa. Desde o início do programa, a Costa já doou mais de 70 mil refeições e a ideia é que o projeto seja implantado na América do Sul, e no Brasil, em breve.

DIÁRIO – Existe alguma ação inédita em termos de preservação de mares e oceanos na Costa Cruzeiros?

Rustico – Sim. Nosso Relatório de Sustentabilidade está dividido em três seções: MAR, VOCÊ, e AMANHÃ, e neste primeiro quesito destaco a proteção ambiental. Diante dessa premissa, a Costa atua na diminuição da emissão de gases poluentes, na otimização do consumo, na administração do desperdício, visando a recuperação, o reuso e a reciclagem, no combate às mudanças climáticas e na segurança do ecossistema marinho. Esses objetivos estão amplamente integrados as nossas atividades operacionais e envolvem a colaboração dos hóspedes dos navios, dos parceiros logísticos da Costa e até de autoridades dos locais por onde os cruzeiros passam.

Na seção VOCÊ, a estratégia da Costa se baseia na promoção de um modelo empresarial e turístico que assegura o desenvolvimento econômico nos locais visitados pelos navios e, ao mesmo tempo, dissemina o patrimônio cultural e natural de localidades italianas, conscientizando os hóspedes para uma experiência de viagem mais autêntica. E, por fim a seção AMANHÃ, destacamos a chegada dos dois novos mega navios movidos a Gás Natural Liqueifeito (GNL) à frota da Costa este ano e em 2021.

DIÁRIO – Quais as novidades previstas para 2019?

Rustico – O primeiro navio conduzido por gás natural liquefeito (GNL) e que engloba um “projeto verde” revolucionário da companhia será entregue em outubro deste ano (2019). O navio Costa Smeralda representará a maior inovação para o mercado internacional e um passo importante para estabelecer novos padrões ao setor de cruzeiros. Iremos impulsionar o desenvolvimento do GNL como uma alternativa de combustível viável para a indústria de cruzeiros. O GNL será responsável por gerar 100% da energia para o navio tanto no porto como em alto-mar, sendo um grande avanço ambiental em qualidade do ar e redução nas emissões de óxido de enxofre, nitrogênio e CO2.

Foto: divulgação/Costa Cruzeiros

Outras ações pontuais da Costa Cruzeiros para o meio ambiente

– A Costa tem a preocupação em diminuir a emissão de gases de efeito estufa para a atmosfera. Assim, a companhia utiliza silicone ecológico para o revestimento da base do casco do navio, usa lâmpadas LED e inversores que aprimoram o desempenho dos ventiladores na casa das máquinas.

– A empresa já conseguiu reduzir em 50% a emissão de substâncias destruidoras de ozônio, substituindo os sistemas de refrigeração e condicionamento.

– 70% da água usada e produzida a bordo dos navios da Costa é reutilizada nas usinas de dessalinização e evaporadores.

– A Costa tem a política de separar 100% dos resíduos sólidos (embalagens, resíduos orgânicos e biodegradáveis e papéis) a bordo, sendo integrante do projeto Cruzeiro Sustentável, cofinanciado pela União Europeia.

– A Costa é certificada pelo RINA (Registro Naval Italiano) com o BEST 4, sistema integrado de certificação de conformidade corporativa com os mais altos padrões de responsabilidade social (SA 8000 em 2008, devido ao primeiro programa voluntário na indústria marítima), meio ambiente (UNI EN ISO 14001 em 2004), segurança (OHSAS 18001 em 2007) e qualidade (UNI EN ISO 9001 e2008). Todos os navios da Costa têm o selo RINA Green Star, atestando que a companhia segue os mais altos padrões em respeito ambiental.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial