Veja o que rolou de mais importante no encontro de líderes do NEB

0
101
Luiza Trajano, Chieko Aoki, Vinicius Lummertz, Mami Fumioka e outros grandes nomes do turismo discutiram o futuro do turismo no Brasil em evento híbrido (Crédito: assessoria)

 

Com mediação de Mami Fumioka, da Quickly Travel, o evento híbrido promovido na última terça-feira (29), pelo NEB (Nikkey Empreendedores do Brasil), contou com a presença de grandes líderes do Brasil, como Luiza Helena Trajano, do Grupo Magazine Luiza, Vinicius Lummertz, atual Secretário Estadual de Turismo, Chieko Aoki, Presidente da Rede Blue Tree, Gervásio Tanabe, Presidente Executivo da ABRACORP, Toni Sando, Presidente da UNEDESTINOS, Jacqueline Conrado, Country Director da United Airlines no Brasil e a Chef Ana Zambelli, do NOAH Gastronomia.

Em mais de uma hora debate, os convidados responderam perguntas e falaram abertamente sobre as lições aprendidas pela pandemia e o que se espera do turismo nessa retomada. O grande destaque da noite ficou no consenso geral de que o turismo precisa deixar de ser tratado como um segmento isolado, mas sim como uma plataforma que impacta mais de 50 setores distintos da economia e leva emprego e renda para milhares de pessoas. E que acima, de tudo todos os setores precisam se unir e pensar no coletivo, fazendo mais com menos.

Nas palavras do Secretário Vinicius Lummertz, o turismo não é mais o que era. O significado da palavra agora é outro. “É preciso criar diálogos no nosso país. Criar condições de conversar e entender que o turismo é uma plataforma. O comércio vai junto. Tudo está interligado. A beleza, a estética, a arquitetura e urbanismo, a arte… está tudo interligado”.

Luiza Trajano também endossou o coro por uma plataforma mais unida no turismo e reiterou: “é preciso parar de pensar no seu quintal e pensar no quintal do global”. A empresária também defendeu a criação de um planejamento estratégico de políticas públicas e reforçou que o turismo precisa dar mais oportunidades e poder de compra para as classes populares.

“O turismo precisa ser barateado. Ele precisa estar ao alcance da classe popular. O sonho de todo o brasileiro que trabalha o ano inteiro é viajar. E pra isso ele precisa ter um preço mais acessível. Eu não posso pagar mais caro aqui do que uma viagem para Miami. A cadeia de setores do turismo precisa se unir para isso acontecer”, ressaltou Luiza.

Os convidados também falaram sobre o atual momento da indústria turística, como Jacqueline Conrado, da United, que reiterou a importância do Brasil para a empresa e enfatizou ainda mais a importância das pessoas, sejam elas clientes, colaboradores ou parceiros da empresa nesse momento de crise, ao relembrar a manutenção dos voos diários entre Brasil e USA, na rota SP-Houston e na retomada do trecho SP-NYC, agora em agosto.

Tanabe, pelo lado das viagens corporativas, comentou sobre a retomada gradual das viagens corporativas, com crescimento entre 15 e 20% mês a mês e demonstrou otimismo. Toni Sando, por outro lado, comentou que não há retomada no turismo, mas sim reconstrução. “O passado nos traz lembranças, o futuro expectativas e esperança e o presente é um momento de reconstrução”.

Chieko, pelo segmento de hotéis, falou sobre as lições apreendidas pela hotelaria no desenvolvimento e compartilhamento dos protocolos de segurança desenvolvidos pela Blue Tree para os empreendimentos que não contam com as mesmas condições que a rede no preparo de tais medidas preventivas. Ana Zambeli, por sua vez falou no resgate dos sabores do Brasil na retomada e na promoção da rica gastronomia e diversidade que as regiões brasileiras apresentam, o que o mundo precisa reconhecer.

O debate completo “Grandes Líderes do Brasil: Futuro do turismo, saúde, segurança e inovação”, com medição de Mami Fumioka, da Quickly Travel, está disponível no canal do NEB no Youtube, por meio deste link.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui