Estudo aponta baixa adesão ao ‘Selo Turismo Responsável’, 60 dias após lançado

Um estudo produzido pelo Profo Msc. Thyago Velozo de Albuquerque, do Departamento de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – pesquisador do Núcleo de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável (NPDS – UFPB) -, apresenta uma análise sobre Adesão dos Meios de Hospedagem ao Selo Turismo Responsável do Ministério do Turismo. A primeira constatação após 60 dias do lançamento do Selo apontada pelo estudo é:  baixa adesão das empresas.

REDAÇÃO DO DIÁRIO 

O Ministério do Turismo lançou o selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, com diretrizes voltadas para 15 diferentes atividades do Cadastro Nacional do Turismo (Cadastur).

Os protocolos foram criados em conjunto com ANVISA e representantes dos segmentos,
como forma de padronizar os protocolos necessários ao retorno da atividade de forma
segura, mas também para estimular um sentimento de proteção e segurança nos
turistas, bem como de chancelar profissionais e estabelecimentos turísticos, como hotéis e
aeroportos, que se comprometam com protocolos de saúde, segurança e atendimento em suas operações.

Segundo o pesquisador, não se buscou fazer juízo de valor sobre a estratégia desenvolvida em sua pesquisa, “consideramos apenas analisar o grau de adesão das empresas ao selo, com dados disponíveis na plataforma, e compará-los aos dados disponíveis sobre o Cadastur”, diz.

“Tal análise deve-se ao fato da adesão ao selo ter sido a única ação de política pública do
Ministério para implementação de protocolos de biossegurança no setor”, afirma Thyago Velozo de Albuquerque.

Análise

Segundo Thyago, as informações aqui apresentadas constituem-se de análises dos dados disponibilizados pelas plataformas do Governo Federal, tanto sobre a adesão ao selo em questão, como sobre o cadastro no Cadastur – Cadastro Nacional do Turismo.

“Consultamos os dados abertos do Ministério do Turismo buscando identificar a quantidade dos meios de hospedagem que aderiram aos protocolos de segurança instituídos pelo selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, avaliando e cruzando essas informações com o número de meios de hospedagens registrados no Cadastur”, afirma.

Estas análises foram realizadas com os dados consultados no dia 24 de julho de 2020.

 

 

Análise

No recorte regional, segundo o professor Thyago Velozo de Albuquerque, foi identificado que os estados da região Nordeste possuem uma maior taxa proporcional de adesão ao selo, apresentando uma média de adesão maior que média nacional, com a média de 27%. “Em seguida temos a região Sudeste com 22%, também maior que a média nacional, seguido pela região Sul com 21%. O Centro Oeste e o
Norte possuem as menores médias de adesão proporcional apresentando 11% e 6%, respectivamente”, aponta o estudo.

Considerações finais

Segundo ele, ocorre uma maior adesão proporcional de meios de hospedagem nos Estados da região Nordeste, com 03 estados apresentando adesão maior que 30%, 04 estados na faixa entre 21% e 30%, e 02 estados na faixa laranja, a Paraíba (com 14%) e Sergipe (11%).

“Apesar de cada Estado e Munícipio poder adotar seus próprios protocolos de biossegurança para reabertura das atividades econômicas, a adesão ao selo, proposto pelo Ministério de Turismo, é fundamental enquanto política pública e visibilidade internacional”, frisa..

“Ressaltamos que, mesmo cada localidade definindo seus próprios protocolos e que estes possam ir além dos estabelecidos pelo Ministério, a adesão ao selo, enquanto política nacional deveria ser estimulada e incentivada, como processo, inclusive, de melhoria da imagem dos equipamentos turísticos de todo País”, conclui o pesquisador.


*Estudo produzido pelo Profo Msc. Thyago Velozo de Albuquerque, do Departamento de Turismo e Hotelaria da UFPB, E pesquisador do Núcleo de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável (NPDS – UFPB).

 

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

U.S. Travel anuncia IPW 2021 de 18 a 22 de setembro em Las Vegas

WASHINGTON, 30 de setembro de 2020 - A U.S. Travel Association anunciou nesta quarta-feira (30) que a IPW, sua feira internacional anual de viagens...

Voos para Congonhas e Confins retornam em outubro no aeroporto de Florianópolis

A malha aérea prevista para outubro, no Aeroporto Internacional de Florianópolis, contará com o retorno de dois destinos importantes: o aeroporto de Congonhas, em...

Veja o que rolou de mais importante no encontro de líderes do NEB

  Com mediação de Mami Fumioka, da Quickly Travel, o evento híbrido promovido na última terça-feira (29), pelo NEB (Nikkey Empreendedores do Brasil), contou com a...

Lençóis e a Chapada Diamantina reabrem para o turismo

por Reginaldo Marinho -   RM@reginaldomarinho.com.br Foi amor à primeira vista. Vim conhecer Lençóis há três anos e daqui não quis mais sair. Vim por um chamado...

Confirmado: Festival das Cataratas terá feira presencial em dezembro

Festival das Cataratas deste ano foi dividido ao longo do ano, com ações on-line. EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências Seguindo rigorosos protocolos sanitários, os organizadores do...

Brasileiros deportados dos EUA desembarcam no Brasil. Leia opinião de especialista

O 20º voo com deportados brasileiros dos Estados Unidos pousou no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na região metropolitana, na última sexta-feira (25), com 52 pessoas, de acordo...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat