‘A meta é criar estrutura para eventos nos hotéis’, afirma o secretário de Turismo de Aparecida

Por Amadeu Castanho

Uma das cidades brasileiras mais afetadas pela pandemia, já que tem no turismo religioso seu principal motor econômico, Aparecida (SP) aproveitou o período para fazer a lição de casa e se preparar para receber melhor os visitantes.

Para entender melhor as mudanças pelas quais a Secretaria de Turismo de Aparecida está passando e conhecer os seus planos para os próximos anos, conversamos com o titular da pasta, João Gilberto de Oliveira, experiente guia de turismo e grande conhecedor dos pontos altos e baixos do turismo da cidade.

Na entrevista a seguir ele fala desde o impacto negativo gerado pela pandemia até as mudanças que promovendo à frente da Secretaria de turismo.

Qual foi o impacto que o período de pandemia teve no turismo de Aparecida?

João Gilberto de Oliveira: O turismo religioso de Aparecida foi fortemente impactado com a pandemia da Covid-19. Diversos segmentos entre eles hotelaria, restaurantes, lojas de quinquilharias e a feira de ambulantes tiveram de interromper as atividades de uma hora para outra, principalmente depois que o Santuário Nacional de Aparecida, e outros santuários da Região Turística da Fé tiveram de fechar as portas para evitar aglomerações.

Qual foi esse impacto na hotelaria, comércio e serviços de Aparecida?

João Gilberto de Oliveira: O efeito imediato da pandemia foi o desemprego. Mais de 80% da população ficou sem nenhuma fonte de renda, o que refletiu também no aumento da inadimplência, que impactou principalmente os segmentos de economia informal que não puderam se beneficiar do plano emergencial do Governo Federal, obrigando o atual executivo municipal a liderar uma grande campanha nacional de arrecadação de cestas básicas para atender a população em estado de vulnerabilidade.

E na arrecadação de impostos da cidade, qual foi o impacto sofrido?

João Gilberto de Oliveira: Durante a pandemia a arrecadação de impostos no Município alcançou um alto índice de inadimplência, de mais de 70%, durante 2020. Este ano, essa porcentagem chegou a 90%, ocasionando uma grande escassez de recursos nos cofres públicos. Isso impactou a execução de novos projetos e obras, principalmente aqueles voltados a saúde, promoção social e ao turismo de Aparecida.

Neste ano de 2021, o poder público local propôs um parcelamento, em condições favoráveis para todos os munícipes possam gradualmente voltar as suas atividades.

Mesmo com todo esse esforço por parte do executivo municipal, muitos empreendimentos turísticos até o momento não conseguiram reabrir as suas portas.

Por outro lado, identificamos o surgimento de novos meios de hospedagem e restaurantes na cidade, o que nos dá uma esperança de dias melhores.

O período de pandemia serviu para que fosse aprendida alguma lição?

João Gilberto de Oliveira: A grande lição que podemos tirar dessa situação é que nenhum segmento turístico está imune às crises econômicas ou pandemias como a que está ocorrendo no momento. Planejamento é extremamente necessário para diminuir os impactos de um problema tão grandioso como tem sido o da pandemia do novo coronavírus.

O turismo de Aparecida, por exemplo, cresceu nas últimas décadas de maneira amadora – uma responsabilidade que não é só do poder público, mas das entidades de interesse turísticos que não atentaram, e nem se anteciparam para evitar um maior impacto de eventuais crises ou pandemia na vida das pessoas.

Por isso, a atual administração, por meio de suas secretarias, em especial a Secretaria de Turismo, está buscando liderar ações no sentido de amenizar e criar novas perspectivas para um turismo inclusivo e sustentável em Aparecida.

Uma das iniciativas da Secretaria de Turismo de Aparecida é a criação de uma Câmara Temática para a revisão do Plano Diretor de Turismo, que prevê ações e projetos para um período de pequeno, médio e longo prazo.

Uma das ações para mudar a atual conjuntura é a de sensibilização do trade turístico local para gerar uma consciência turística e de hospitalidade (Foto: Thiago Leon – Santuário nacional)

O que deve mudar?

João Gilberto de Oliveira: Uma das ações para mudar a atual conjuntura é a de sensibilização do trade turístico local para gerar uma consciência turística e de hospitalidade.

Criar programas de capacitação por meio de cursos de gestão e de atendimento aos turistas. Capacitar os empresários e colaboradores para geração de novos negócios turísticos através de entidades como o SENAC e SEBRAE/SP.

Quais são as perspectivas do período de retomada do turismo?

João Gilberto de Oliveira: As perspectivas para a retomada do turismo em Aparecida são animadoras. Nos últimos meses presenciamos o aumento do fluxo de turistas e o surgimento de novos segmentos turísticos em nossa região, que de certa maneira ajudarão a amenizar os impactos, principalmente em benefício aos ambulantes e comércio em geral.

O turismo rural, o cicloturismo e o turismo náutico se expandiram por serem segmentos com menor incidência de contaminação pelo coronavírus. Na retomada do turismo a tendência é deles se consolidarem, o que beneficiará diretamente guias de turismo, agências, hotéis, restaurantes e similares.

Quais são as perspectivas para 2022?

João Gilberto de Oliveira: A esperança para 2022 é o retorno de grandes eventos para Aparecida, como o Terço dos Homens e a Romaria da Arquidiocese do Rio de Janeiro. No município está previsto o retorno da Festa de Santos Reis e São Benedito. Ainda em 2021 já está confirmado o Natal Iluminado, que trará um bom fluxo de turistas para a hotelaria local.

Mas, a nossa meta é criar nos melhores hotéis da cidade uma estrutura mínima para eventos, mesmo que sejam eventos pequenos, mas que possam gerar empregos e renda.

A Secretaria de Turismo até já tomou a iniciativa de fazer parcerias com algumas empresas promotoras de evento, que auxiliarão junto aos meios de hospedagens que quiserem receber esse novo público que irá surgir.

O importante é o nosso município possa voltar a receber os eventos, seja no Santuário Nacional de Aparecida ou em outros espaços, que já estão se estruturando para isso.

No que a atual gestão da Secretaria se diferencia das anteriores? 

João Gilberto de Oliveira: Embora tenha as mesmas dificuldades estruturais das gestões anteriores, a atual Secretaria de Turismo se diferencia das anteriores pelo seu quadro técnico, composta de técnicos graduados no turismo, o que foi uma grande iniciativa de nosso atual Prefeito Luiz Carlos de Siqueira, ao colocar no quadro de todas as Secretarias profissionais técnicos da área correspondente.

Outro diferencial é que a Secretaria de Turismo atual tem uma grande missão de ser a interlocutora e facilitadora das demandas do turismo local. Desde primeiros dias da atual gestão estamos de portas abertas para receber os representantes de todos os segmentos turísticos, que trazem as suas necessidades, ideias e projetos. E nós apreciamos todos, indistintamente.

Quais são os planos e propostas da Secretaria para o próximo ano?

João Gilberto de Oliveira: Depois de terminada a etapa da revisão do Plano Diretor de Turismo, foram elencados 40 projetos de retomada do turismo , que serão realizados a curto, médio e longo prazo, dentro do mandato da atual gestão municipal.

É também prioridade a criação de um Observatório de Turismo Municipal que terá os estudos e as informações necessárias para empreendedores que queiram investir em Aparecida na criação de projetos de infraestrutura turística que possam atender futuramente um fluxo maior de visitantes.

E trabalhar em parceria com a governança da Região Turística da Fé agregando novos municípios que tenham a mesma identidade turística de Aparecida. Enfim, criar uma Aparecida mais sustentável, mais humana e mais inclusiva.

No seu ponto de vista, como Aparecida pode melhorar para melhor acolher os visitantes?

João Gilberto de Oliveira: Uma das ações para promover o melhor acolhimento de nossos visitantes é a Educação do Turismo por meio da criação de novos cursos, da implementação de leis eficazes para orientação do comércio em geral e da fiscalização continua de seu cumprimento.

A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte, em parceria com a Secretaria de Turismo, retornou com o Curso de Guia de Turismo para possibilitar o surgimento de novos profissionais que possam atender essa nova demanda existente na Região Turística da Fé.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial