Suíça restringe entrada de visitantes de 29 países, entre eles os do Brasil

 A partir de 6 de julho, viajantes de 29 países que quiserem ir à Suíça terão que se registrar com as autoridades e se autoisolar para evitar um ressurgimento do coronavírus, disse o governo suíço nesta quinta-feira.

EDIÇÃO DO DIÁRIO com Reuters


A lista inclui Estados Unidos, Suécia, Brasil e Rússia, que foram designados como países com alto risco de infecção.

Os visitantes que tiverem estado nas nações citadas nos 14 dias anteriores terão que notificar as autoridades suíças de imediato ao chegarem e ficar 10 dias em quarentena, sempre segundo o governo.

A lista ainda identifica Argentina, Chile, Colômbia, Arábia Saudita, África do Sul e Sérvia e será revisada continuamente, disse o governo.

O número de infecções começou a aumentar na Suíça nos últimos dias, provocando o receio de uma segunda onda de Covid-19, mas suas fronteiras com Itália, Áustria, Alemanha e França estão abertas no momento.

O país, que suspendeu muitas de suas restrições, entre elas reabrir escolas e lojas, teve 31.967 testes positivos de Covid-19 e 1.686 mortes até agora.

Ele faz parte do Espaço Schengen de 26 nações, que normalmente não têm verificações nas fronteiras. As viagens irrestritas entre a Suíça e todos os outros membros do espaço estão permitidas, exceto a Suécia, que consta da lista governamental.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial