Em nova carta, Praticagem de São Paulo confronta empresas de Cruzeiro e Abremar

Tanto a matéria assinada por Fábio Steinberg “Cruzeiros começam a desembarcar do Brasil”, publicada segunda-feira (28) no DIÁRIO como a  entrevista com o presidente da CLIA Abremar (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), Marco Ferraz, publicada no DT na quarta-feira (23), tem criado o que chamaríamos de indignação junto à empresa de Praticagem de São Paulo. Pela segunda vez, a empresa – que garante ao DIÁRIO que não é uma associação – manifesta sua insatisfação com as empresas de Cruzeiros Marítimos que operam no Brasil, e em carta, apresentam uma série de situações as quais coloca, no mínimo, as armadoras em situação constrangedora: entre elas, problemas trabalhistas e ambientais. Confira a carta abaixo, assinada pelo presidente da Praticagem de São Paulo, Cláudio Paulino.

Ao Diário do Turismo: 

Sobre a matéria “Cruzeiros começam a desembarcar do Brasil”, publicada neste jornal, a Praticagem de São Paulo, empresa que reúne práticos de Santos e São Sebastião, vem novamente contestar o falacioso argumento que coloca os custos de Praticagem como um dos entraves ao “sucesso” das viagens de cruzeiros na costa brasileira.

Estima-se que, nesta temporada, passarão por Santos 760.000 passageiros. Utilizando os números da própria Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (ABREMAR), o custo por passageiro pelos serviços de praticagem gira em torno de R$14,00, menos do que os R$20,00 cobrados à bordo por uma lata de refrigerante.

Em montantes globais, a pouca significância também é patente. Considerando que o custo médio de um pacote nos cruzeiros é de R$2.000,00 por passageiro, fica fácil verificar que os armadores vão arrecadar na temporada em Santos, somente com a venda de pacotes, sem contar com as despesas a bordo, passeios e cassino, R$1,52 bilhões! Segundo a própria ABREMAR, aPraticagem representa 0,7% de tal quantia.

- Advertisement -

Sem entrar em maiores detalhes de que aqueles R$1,52 bilhões representam recursos que deixam de ser desembolsados no turismo interno brasileiro, o desembarque dos navios de cruzeiros tem motivos bastante distintos, a começar pela crise brasileira que afeta praticamente todos os setores da economia. Os armadores de cruzeiros não gostam de populações empobrecidas!

Em paralelo, pesam também os vários problemas trabalhistas e ambientais que têm sido denunciados por Sindicatos e órgãos públicos, como ocorreu em Salvador, em março do ano passado, quando 11 tripulantes foram resgatados pela Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, por apresentarem condições de trabalho análogas às de escravos.  Como os tripulantes são recrutados no Brasil e cumprem a maior parte do trabalho na costa brasileira deveriam ser contratados sob as regras da legislação trabalhista brasileira. Um termo de ajustamento de conduta foi assinado em 2010, como o Ministério do Trabalho, criando regras para o trabalho em navios. Segundo matéria publicada pela Folha de São Paulo, a maior parte das empresas foi autuada nas últimas temporadas por descumprirem o acordoHttp://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/04/1435814-fiscais-resgatam-tripulantes-de-cruzeiro-sob-condicao-de-trabalho-escravo.shtml).

Multas por jogar lixo no mar também são conhecidas. Em 2014, um passageiro fez questão de filmar o procedimento de um desses navios de cruzeiros, que durante quatro dias lançou sacos de lixo no oceano https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2014/01/passageiro-filma-lixo-sendo-lancado-de-navio-em-alto-mar-durante-cruzeiro.html. A MSC foi autuada em R$2,05 milhões. https://www.ibama.gov.br/publicadas/empresa-de-viagens-de-cruzeiros-e-autuada-por-lancamento-de-lixo-no-mar.

Além disso, gostaríamos de destacar que, ao contrário de outros portos do mundo, no Brasil, as praticagens arcam com todos os custos de infraestrutura dos serviços, sem qualquer participação de governos. A Praticagem de São Paulo conta com uma estrutura de 100 funcionários, 18 embarcações, estaleiro e um Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego considerado um dos mais modernos do mundo.

Finalmente, não é demasiado lembrar que a ABREMAR e a Praticagem de São Paulo passaram cerca de seis meses ao longo de 2015 negociando uma nova tabela de preços exclusiva para os navios de passageiros. Ao final, com a quase totalidade dos pleitos da ABREMAR atendidos e com reduções de valores que chegavam a até 15%, esses mesmos armadores desistiram de firmar o novo acordo.

Meia lata de guaraná seria um preço caro para a salvaguarda da vida humana, para a segurança do navio e da navegação e para a proteção do meio-ambiente? Conforme afirmou Stelios Haji-Ioannou: “Se você pensa que segurança custa caro, experimente um acidente”. E o Costa Concórdia está lá, para lembrar.

Compartilhe com um amigo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
PAULO ATZINGEN é jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará. Produziu reportagens na Amazônia sobre sustentabilidade, conflitos agrários e étnicos. Lançou em 1998 sua primeira revista, a PAYSAGE – dirigindo-a e publicando-a por três anos. Em Belém, foi repórter do jornal O Liberal, O Paraense e articulista do jornal A Província do Pará e Diário do Pará. É premiado contista, com três livros de ficção em prosa publicados via editais. Trabalhou como redator no jornal de turismo Brasilturis e fundou em 2005 o DIÁRIO DO TURISMO, o primeiro jornal On-line Diário de Turismo do Brasil. Atualmente desenvolve projetos de conteúdo editoriais e digitais para empresas privadas de hotelaria, aviação, companhias marítimas, destinos turísticos e biografias.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias para a sua viagem!


    Mais lidas

    Site do Editor

    O jornal dos melhores leitores

    Mais recentes

    Mostra de Cinema de Gostoso tem apoio do governo do RN

    Entre os dias 26 e 30 de novembro, a praia do Maceió se transformará em uma sala de cinema à beira mar com exibição...

    Copa Airlines celebra 15 anos de operações no Rio de Janeiro

    A companhia opera no Rio de Janeiro com dois voos diários conectando a cidade com 65 destinos, em 28 países da América do Sul...

    Abeta Summit 2021 debate o ecoturismo e turismo de aventura no Brasil

    Promovido pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), evento acontece até este sábado Por Redação Sob o tema (Re)Construindo um Turismo...

    Roda-gigante de Faz do Iguaçu (PR) será inaugurada em dezembro

    Foz do Iguaçu foi escolhida por atrair brasileiros e estrangeiros e por ser um destino que alia belezas naturais com uma ótima estrutura de...

    Seridó (RN) pode se tornar segundo geoparque do país reconhecido pela UNESCO

    O Geoparque Seridó compreende seis municípios do Rio Grande do Norte: Acari, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Lagoa Nova e Parelhas Edição DIÁRIO...

    Aparecida quer se posicionar como destino de férias

    Para mostrar a cidade além do turismo religioso, cidade investe em press trip com jornalista Por Amadeu Castanho Interessadas em estimular o perfil do turismo local,...

    Relacionadas

    Compartilhe com um amigo:
    Pautas e Marketing