DIÁRIO Da Patagônia Chilena II – por Paulo Atzingen

Punta Arenas – Talvez a principal matéria-prima daqui da Patagônia Chilena não seja nem o frio, nem a neve, mas o silêncio. Outro elemento perceptível e que tem aqui às baciadas, mas que não damos conta é a claridade. A combinação do azul sem adjetivos do céu e o branco das geleiras nos oferece uma overdose para os olhos que me remetem ao filme do brasileiro Walter Salles, Ensaio Sobre a Cegueira, baseado no livro de José Saramago.

Desaprendemos o olhar. Todas essas lembranças que trazemos de nossas acinzentadas metrópoles são apagadas aqui – se deixarmos, é claro – com uma nova maneira de respirar, de observar e de avistar o voo do pássaro, os albatrozes como são chamados, até que eles desapareçam em meio ao glacial, ou detrás do navio Via Australis. Em resumo, é preciso que se dê tempo ao tempo, bater menos fotos, falar menos e gravar as imagens no facebook da mente.

Aqui, a América do Sul se despedaça em centenas de ilhas e ilhotas de pedra e gelo e seus moradores, elefantes-marinhos, pinguins, castores e esses albatrozes nos dão as boas-vindas. Neste final de outubro, quando a pseudo-primavera começa, eles surgem com mais intensidade nas margens dos canais para nos observar e serem observados.

O Diário de bordo do navio Via Australis informa que o sol levanta às 6h59 e se põe às 20h09 deste dia 11 de outubro. Fui tomar o café dos madrugadores, servido a partir das 7 horas no Salão Yamana. Lá só encontrei ingleses tomando seu chá matinal.

 Os rios de neve que descem do topo da cordilheira chocam com nossos rostos durante a travessia

Na manhã deste segundo dia, navegaremos pelos canais que desenham o Parque Karukinka, que na língua dos yagan, povos primitivos daqui, quer dizer “Nossa Terra”. Descerermos no cerne desta Terra do Fogo,  e os botes, chamados Zodíacs, saem com grupos de no máximo 12 ocupantes. Chilenos, argentinos, ingleses, americanos, espanhóis e brasileiros dividiam os barcos em direção à ilha que de longe parecia de prata, cor da neve refletida sobre as árvores.

Segurança

Segurança é o gênero de primeira necessidade. Como água, bebe-se segurança nos navios da Cruzeiros Australis. Antes do embarque há uma aula de como subir e descer no bote Zodiac, como andar em terra firme e como se portar diante dos animais da ilha. “Jamais se aproximar dos elefantes-marinhos”, afirma Mônica Rivero, guia de expedição. O número do apartamento de cada hóspede é representado por uma tarjeta que acompanha o salva-vidas. Todos têm que pendurar esta tarjeta em um quadro antes de embarcar e retirá-la assim que voltar ao navio. Controle numérico de saída e chegada de quem se aventura para fora do Via Australis.

Embarcamos. As cores laranja dos salva-vida se destacam a centenas de metros. Os rios de neve que descem do topo da cordilheira chocam com nossos rostos durante a travessia. O ronco do motor do Zodiac rasga a água semi-congelada e agita a manhã de sol frio.

Para enfrentarmos esse ambiente com o mínimo de conforto é preciso vestir roupas impermeáveis, botas de trekking, gorro, luva e estarmos prontos para o que é colossal. As imagens não cabem na grande angular da máquina fotográfica, as rajadas de vento surgem como grandes lambadas de uma cauda onipresente chamada clima patagônico.

A pele tropical se retrai. À medida que o corpo vai se adaptando ao macro-clima dos glaciares, os olhos penetram mais fundo na cútis da montanha, despindo-a, lentamente.

Os olhos, porta de entrada dos sentidos, à medida que se adapta ao campo branco que se espraia de uma ponta a outra do glacial, percebe a sutileza das correntes de ar que determinam o bailado das gaivotas. Não é o pássaro que voa, mas são os feixes de vento que o sustentam no ar.

Cada vez menor, o Via Australis, desaparece entre a bruma que o bote deixa para trás.

 A equipe do Via Australis prepara o desembarque com pranchas de madeira e um corrimão 
 feito de corda. Pensam em tudo.

Em nosso primeiro desembarque em terra firme conheceremos de perto os elefantes marinhos, que pesam – disse o guia – em torno de duas toneladas. A equipe do Via Australis prepara o desembarque com pranchas de madeira e um corrimão feito de corda. Pensam em tudo.

* O jornalista Paulo Atzingen viajou a Patagônia Chilena a convite da Sky Airlines, Australis Cruzeiros e Integra Group

LEIA TAMBÉM:

 Via Australis: Glaciares, icebergs e elefantes marinhos marcam viagem à Patagônia Chilena

 DIÁRIO da Patagônia Chilena I, por Paulo Atzingen

 

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

LATAM produz 55 mil máscaras cirúrgicas para doação a hospitais

A LATAM Airlines Brasil informa que concluiu com sucesso em setembro a produção de 55.000 máscaras cirúrgicas, fabricadas em seu Centro de Manutenção (MRO)...

Ilha Aruba apresenta cenários instagramáveis e série de atividades para se reconectar com a natureza

A ilha de Aruba é um país autônomo do Reino dos Países Baixos e está localizada a 25 km ao norte da península de Paraguaná, na Venezuela Por...

Circuito Litoral Norte participa da ABAV Collab, Feira de Turismo que acontece de 27 de setembro a 2 de outubro

“Esse trabalho coordenado do Litoral Norte é fundamental para o posicionamento correto junto aos agentes viagens, atores importantes na ponta da venda”, ressalta o...

Embraer Aviação Comercial apresenta Marcelo Santiago como novo Vice-Presidente de Contratos e Gestão de Ativos

Marcelo Santiago substitui Simon Newitt, que permaneceu na empresa por duas décadas Por DIÁRIO com Agências A Embraer anunciou que Marcelo Santiago assumirá, no dia 1º...

Emirates retoma voos para Johanesburgo, Cidade do Cabo, Durban, Harare e Ilhas Maurício

A adição desses cinco destinos expandirá a rede global da Emirates para 92 destinos Por DIÁRIO com Agências A Emirates anunciou que retomará os voos para...

Online, IV Fórum Brasileiro de Hotéis Independentes será realizado no dia 28 de setembro; veja a programação

As soluções disruptivas para a hotelaria independente e as renovações tecnológicas vividas pelo setor serão os temas estruturais desta quarta edição do Fórum Por REDAÇÃO No...

Relacionadas

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias

Open chat