Érica Drumond, CEO da Vert Hotéis, fala ao DIÁRIO (RETRO 2017)

Executiva Érica Drumond diz que o momento é de arregaçar as mangas e não deixar contaminar-se pelo pessimismo (publicado em 23 de maio)

REDAÇÃO DO DIÁRIO

A ex-secretária de Turismo de Minas Gerais e CEO da Vert Hotéis, Érica Drumond em entrevista exclusiva ao DIÁRIO durante o Congresso Nacional de Hotéis – Conotel – realizado em São Paulo na última semana, falou sobre as expectativas do mercado hoteleiro para 2017, em especial sobre a Vert Hotéis. Sem dourar a pílula e minimizar a crise econômica e política brasileira, Érica mostra-se confiante no mercado doméstico e acredita que o setor tem ainda muito a crescer. “Vejo no Brasil grandes possibilidades de novos negócios, já que  85% da hoteleira do Brasil é independente”. Acompanhe:

  • Prognósticos da Hotelaria para BH 

“Vamos começar arregaçando as mangas para gerar emprego”

“A gente sofre um pouco com a hotelaria de valores de Belo Horizonte por causa da super oferta, mas em relação à nossa empresa são números mais privados e melhores. O primeiro quadrimestre já representa o semestre inteiro de 2016. Então a gente vê que há uma reação boa, infelizmente estamos aí na expectativa dos desdobramentos dos fatos da política nacional, mas esperamos que isso não afete muito o setor, o trabalhador… As empresas estavam ligadas ao retorno da economia, da produtividade e não estávamos tão ligados à Lava-Jato; esse assunto a gente tem que deixar realmente para o Supremo Tribunal (STF) e para a Promotoria Geral da República (PGR). Então é isso que eu acredito, vamos continuar arregaçando as mangas para gerar emprego.

  • Poucos investimentos

A gente espera que a motivação retorne

Nesse momento as empresas estão fazendo pouco investimento na promoção e no lançamento de novos produtos, em treinamento, em capacitação… Então, a redução de número de eventos é muito grande e isso afeta demais a hotelaria, e também na questão do corte da viagem, assim como de marketing, de comunicação… Esses setores são os primeiros a terem cortes já que as empresas fazem redução de custos. Então, isso afeta a hotelaria, afeta a companhia aérea, afeta, enfim, todo o Brasil. A gente espera que a motivação retorne. Mesmo considerando a ducha de água fria das revelações da JBS, eu acreditava que a economia estava arrancando, o primeiro trimestre demonstrou isso. Vamos esperar que mais essa decepção política não afete o arrancar do Brasil…esse gigante precisa reagir…

  • Novos Negócios

Fazemos toda a distribuição com mais facilidade

Vemos os hotéis independentes como novas possibilidades. Esses, infelizmente, ainda têm muito custo em uma operação, e essa independência dificulta a distribuição. Hoje os canais de distribuição são muitos, além das empresas operadoras eletrônicas, são muitos GDS (Global Distribution System), são muitos cartões de fidelidade…Acho que, enfim, é uma engenharia muito complexa para hotéis pequenos e independentes. É muito trabalho para inserir em um sistema tarifa de um hotel só. Com a tecnologia e com as plataformas tecnológicas que temos – com 16, 17 hotéis da Vert em operação – fazemos toda a distribuição com mais facilidade. Então, eu vejo no Brasil grandes possibilidades de novos negócios, já que  85% da hoteleira do Brasil é independente.

  • Diferencial e fundos

Está difícil nesse momento buscar linhas de crédito

A Vert, por não ser uma empresa muito grande, possui mais transparência na prestação de contas, além de ser uma empresa brasileira, está a par da complexidadde do nosso setor fiscal e contábil;  então isso também é uma vantagem competitiva.

No que se refere a busca de fundos de investimentos, acho difícil nesse momento para minha empresa buscar linhas de crédito para desenvolver hotéis. O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social) não tem crédito, com a questão da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) dificultou um pouco as novas entradas de novos condo-hotéis, mas nós continuamos desenvolvendo novas incorporações, ainda é um mercado que a gente acredita, estamos abertos, portanto, para novos negócios.

Sobre a Vert

Rede Vert abre seu 17º Hotel em Osasco no próximo mês de julho (Foto: divulgação)
Rede Vert abre seu 17º Hotel em Osasco no próximo mês de julho (Foto: divulgação)

Atuando há 7 anos com foco na hotelaria essencial, a Vert Hotéis conta com 16 empreendimentos em 10 destinos brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Lagoa Santa, Linhares, Macaé, Campos, Natal e Campinas.

A rede conta com três marcas próprias, Sentido, Esuites e Ícone e outras cinco em parceria com a Wyndham Hotel Group, que são Ramada Plaza, Ramada Hotel & Suites, Ramada Hotel, Ramada Encore e Days Inn.

A empresa hoteleira possui cerca de 20 empreendimentos em fase de desenvolvimento, com previsão de entrega até 2020. Ainda em 2017 devem ser entregues também as unidades de São Paulo, Cruzeiro, Fernandópolis, além de mais um hotel em Lagoa Santa (MG).

Mais informações: verthoteis.com.br

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial