Possível legalização dos jogos de azar no país já atrai investidores estrangeiros

Agências                                
Empresário do setor prevê aumento na arrecadação de impostos, incentivo ao turismo e criação de empregos 

Nos últimos meses muito tem se falado sobre a legalização dos jogos de azar no país e a proposta que prevê a liberação de bingos, caça-níqueis, jogo do bicho e jogos online está aguardando aprovação do Congresso e do presidente Michel Temer. Porém, empresários estrangeiros do entretenimento já arriscam dizer que a abertura dos cassinos é um a questão de tempo e muitos já trabalham com a expectativa de que os empreendimentos sejam liberados no segundo semestre de 2017.

Sendo assim, empresários de Las Vegas já estão no país negociando possíveis parcerias para abertura de cassinos de luxo em alguns Estados brasileiros, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Além do incentivo ao turismo, os apoiadores da legalização prevêem a criação de 450 mil empregos e arrecadação de R$ 20 bilhões em impostos. Para Leonardo Baptista, CEO do Betmotion – maior site de jogos e apostas online da América Latina – a ideia central da legalização dos jogos é tornar legal aquilo que já ocorre clandestinamente sem gerar qualquer benefício ao Estado.

“Por estarmos nesse mercado há décadas e, por acompanharmos as peculiaridades do mesmo por meio do contato com empresas que operam em outros países e pela nossa participação em congressos e feiras internacionais, podemos afirmar que existe um interesse gigantesco de grandes empresas multinacionais em investir no mercado nacional de forma imediata, tamanho o potencial do nosso segmento. A não exploração desse segmento significa perda de uma importantíssima fonte geradora de arrecadação”, arremata Leonardo Baptista.

Paulo Atzingen
Paulo Atzingenhttps://www.diariodoturismo.com.br
Paulo Atzingen é paulista e jornalista profissional (DRT-185 PA) desde o ano 2000; cursou Letras e Artes e Comunicação Social na Universidade Federal do Pará (UFPA), É poeta, contista e cronista. Estuda gaita (harmônica).

Assine nossa newsletter

E fique por dentro das notícias mais importantes do setor!


Mais recentes

Carambeí: memória, fé e trabalho marcam viagem aos Campos Gerais

15 ANOS DIÁRIOS - 10 de setembro de 2017 São casas, ferramentas, tratores, comidas, vestimentas, modo de se vestir e falar e uma infinidade de...

Denilson Althmann, do Park Inn By Radisson Santos: “hospitalidade continuará, sem ou com máscara”

Precursor das perguntas diretas aos seus interlocutores em busca de respostas objetivas e  francas, o DIÁRIO retoma seu quadro "TRÊS, QUATRO OU CINCO PERGUNTAS...

GOL lança check-in por WhatsApp

A GOL Linhas Aéreas acaba de anunciar que disponibiliza nesta sexta-feira (3), novas funcionalidades em seu atendimento via WhatsApp, dando um primeiro passo para...

Rio Othon Palace otimiza quartos para oferecer serviço de Room-Office

O Rio Othon Palace otimizou parte dos seus quartos para oferecer o serviço de Room-Office a sua clientela corporativa. EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências A iniciativa...

Selo Turismo Responsável dá tranquilidade aos hóspedes na rede Bourbon

Os protocolos de higiene e segurança adotadoS nos hotéis resgatam a confiança do hóspede no retorno aos empreendimentos e aos seus dias de relax....

Comércio e Serviços de SP poderão abrir por 6 horas, em 4 dias úteis

O governo de São Paulo vai dar uma segunda opção de funcionamento para os estabelecimentos comerciais autorizados a operar nas regiões do estado que...

Relacionadas

1 COMENTÁRIO

  1. É difícil de se contabilizar o prejuízo que esta tendenciosa proibição causou ao turismo brasileiro ao longo destes setenta anos, em especial para Poços de Caldas, onde foi criada a espécie hotel-cassino. Poços teve um terço dos cassinos brasileiros.

Comments are closed.

Fique ligado - Receba nossas notícias diárias