Salta e as delícias de uma Argentina ainda mais saborosa

No último dia 4 de julho a Aerolíneas Argentinas inaugurou o voo Guarulhos (SP) – Salta (Argentina) completando o ciclo de novos voos para o país vizinho, conforme anunciado pelo DIÁRIO. A cultura original da região noroeste do país, as paisagens, a produção de vinho e a gastronomia tornam Salta a primeira opção para brasileiros que querem substituir a neve de Bariloche e da Patagônia, ou trocar a agitação de Buenos Aires, tão conhecidos, por uma Argentina ainda mais autêntica e ainda mais saborosa!

por Mary Ellen Aquino (Com EDIÇÃO)

Nesta viagem a Ronda dos Sabores realiza um tour gastronômico pela província de Salta, e apresenta essas experiências  realizadas em 9 restaurantes: Cerdo Negro (Cerrillos/Salta), Penã Folklorica Vieja Estación (Salta capital), Adobe (Salta capital), Adega Puna (Cachi/Salta), Hacienda Molinos (Molinos/Salta), Vinãs de Cafayate (Cafayate/Salta), Peña Doña Argentina (Cafayate/Salta), Estância las Carreras (Tafi de Valle/Tucumán), Guemes 125 (Cafayate/Salta) e Casa Chicoana (Chicoana/Salta). Dividiremos a reportagem em três partes para que você, leitor, possa conhecer um pouco melhor de cada restaurante.

A Argentina passa por uma variação monetária, então não vamos apresentar os valores do cardápio como de costume, mas isso não afetará seu tour gastronômico ao destino, você pode levar dólares e trocar nas casas de câmbio, que é o ideal ou usar o cartão de débito ou crédito.

Almoço no Cerdo Negro (Crédito: Mary Ellen Aquino)

Memórias do paladar

A região, no noroeste argentino,  tem inúmeras vinícolas (bodegas) e um vinho mais incrível que o outro, e, juntamente com a comida, cria-se a combinação perfeita marcar as memórias do seu paladar. As cidades visitadas têm muitas casas do típico doce argentino, o alfajor, com muitas variações de sabores, com coberturas diferentes, recheio de diversos doces além do tradicional de leite, uma opção ótima e barata para levar para casa e presentear familiares e amigos.

O próprio Kiko Fernández assa a carne de porco. (Foto: Mary Ellen Aquino).

Cerdo Negro

A quinta chama-se Finca La Montanera e o produtor Kiko Fernández que veio de Andaluzia na Espanha trazendo na bagagem a memória da produção do jamón ibérico e serrano. O mesmo jamón que é tradição na família do Kiko e é consumido 100% na Argentina  (700 peças por ano), nem ele mesmo sabe quando foi o início: “A produção de jámon sempre esteve na minha família, em todos os tempos e espero que meu filhos continuem com a tradição,” conta.

No cruzamento de três porcos, o Javali, o Duroc Jersey e Che Tapuy de Córdoba ele buscou chegar ao mais puro porco espanhol, o preto, e alimentá-los com bolotas (um fruto dos Carvalhos com castanha saborosa dentro e que auxiliam no combate ao envelhecimento, Alzmeimer e câncer e é usado para alimentar os porcos na fase final, antes ração equilibrada, capim e água), Kiko chegou a plantar na infância, Azinheiras, Sobreiros e Carvalhos. A carne do porco fica pendurada de 3 a 6 anos, todas as partes são aproveitas na Finca La Montanera.

Experiências

A experiência Cerdo Negro ocorre no almoço e jantar para os visitantes em grupos, para beber o vinho Torrontés (aroma floral e cítrico, muito perfumado, com certa acidez) e o Malbec Grand Reserve da vinícola Piattelli (aroma de frutas vermelhas), prove e agende uma degustação com chocolate na vinícola Piatelli (Cafayate- Salta).

A degustação começa com os embutidos derivados do porco, sabor leve e marcante, textura macia, corte fino (na Espanha tem até competição de corte de jámon) passando para as folhas de alface verdinhas e tão bonitas, assim como os tomates, a argentina produz tomates doces e muito saborosos, o mix de batatas assadas bem coradas e tostadas por fora e fofa por dentro, todos de agricultores locais, a costela é assada com sal, alecrim e folhas de louro, carne macia, saborosa e perfumada. Uma experiência única com ingredientes saudáveis, que começou há um ano e recebe muitos locais e estrangeiros.

Serviço: RP 24 km 5,5 Finca La Montanera, A4403 Cerrillos, Salta, Argentina. Telefone: + 54 387 685 4184

Grupo de dança folclórica, Vieja Estácion. (Foto: Mary Ellen Aquino).

Peña Folklorica Vieja Estación

Um lugar para ver e ouvir a Argentina,  a dança folclórica fica por conta do La Guardia de Guemes, eles animam uma competição de passos que vai arrancar boas gargalhadas e fazer soltar palmas espontâneas, eles são excelentes no que fazem, são seguidos por um grupo musical, o Kaymanta, que vão te fazer imaginar estar no Festival de Cosquin (o mais importante de música folclórica da Argentina, que dura nove dias), o grupo de músicos é um show de talentos.

O local fica numa antiga estação de trem, bem movimentada nas décadas de 50 e 60 do século passado, virou zona boêmia, lançou diversos cantores ao estrelato argentino, e movimentou a vida artística de Salta, com dançarinos, poetas, músicos.

Na decoração bandeiras argentinas penduradas, lustres redondos dourados e muitos quadros na parede que contam a história do lugar. Na cozinha comida típica: Empanadas saltenhas de entrada (todos os lugares na Argentina fazem bem as empanadas salgadas), e a Tamal, que é uma espécie de pamonha com carne dentro, em formato redondo, mas se você esperar o sabor da pamonha brasileira vai se decepcionar, pois é diferente, um bolinho de milho com carne moída e ervas de recheio, vem com textura de pamonha goiana, quentinho na trouxinha de palha. O prato principal eleito foi um bife de costela com osso (Asado en tiras). Eis ai o primeiro choque cultural: veio três pedaços gigantes de bifes, muita comida mesmo, com fritas e salada de tomate e alface, um prato que pode ser dividido tranquilamente. De sobremesa: queijo com melaço de cana e sorvete de nozes.

Serviço: Balcarce 875 –Salta, Argentina. Telefone: + 54 0387 421 7727 e-mail:info@laviejaestacion.com.ar

Restaurante Adobe e um pouco de todas as comidas argentinas típicas. (Foto: Mary Ellen Aquino).
Restaurante Adobe Cocina Regional

No coração de Salta, ao lado do nosso hotel, uma casa do século 18 nos recebeu para um jantar. O local por si só é um evento histórico, as mesas foram feitas das portas antigas da casa, tem o Fernando o garçom celebridade, uma selecionada carta de vinhos argentinos, muitos produzidos ali mesmo em Salta e cerveja Salta, entre as massas, os sorrentinos: de llama, cabrito e jamón, produtos típicos da região. O cardápio ainda tem pratos com carne bovina, frango e porco.

A Tábua Salteña foi a eleita para um mix completo da culinária local: empanadas argentinas com todo tipo de recheio: carne de vaca, porco, queijo, llama, cabrito vem quente e bem temperada e um molho de tomate picante a parte que é maravilhoso, tigelas de ensopados com variação de carnes, lentilha, milho e o tamal. Uma excelente opção para conhecer uma pouco de tudo que Salta tem a oferecer, como o Humita en Chala (espécie de pamonha assada) e Humita a la Olla (ensopado de milho), o Locro (ensopado a base de abóbora, feijão e milho)

De sobremesa, sorvete de baunilha com calda de caramelo e doce de cayote, uma abóbora-chila com aparência externa de melancia, típica do noroeste argentino, bem popular nos restaurantes e cafés locais.  O Adobe tem vista para praça e tem uma decoração para lá de charmosa.

Serviço: Endereço: Caseros 511 Primer Piso, A4400 Salta, Argentina.


*O DIÁRIO viajou a convite da Província de Salta com Seguro GTA

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE

TENHA ACESSO À CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

+ 300 MATÉRIAS COM CONTEÚDO DIRECIONADO

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES EM 1ª MÃO

Tenha acesso ILIMITADO ao conteúdo EXCLUSIVO de turismo.

Conteúdo exclusivo

Recentes

Mais do DT

Atendimento Comercial